Primeiro dia de guerra na Líbia custou US$ 100 milhões aos EUA, diz jornal

Gastos com o início da ofensiva contra o ditador Muamar Kadafi podem chegar a US$ 800 milhões

O Estado de S. Paulo

22 Março 2011 | 01h00

WASHINGTON - O primeiro dia da operação Odisseia da Alvorada custou cerca de US$ 100 milhões aos EUA. Segundo o National Journal, os gastos com o início da ofensiva contra o governo da Líbia podem chegar a US$ 800 milhões.

 

Veja também:

especialTwitter: Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia

blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

 

Citado pelo jornal, Todd Harrison, analista de defesa do Centro de Avaliações Estratégicas e de Orçamento, acredita que os custos da operação na Líbia podem facilmente passar de US$ 1 bilhão.

 

Para o Exército americano, as maiores despesas são com o uso de munição, combustível para as aeronaves e pagamentos para os militares envolvidos - custos que aumentam diariamente.

 

No primeiro dia dos ataques, as forças americanas lançaram 112 mísseis de longo alcance Tomahawk, cada um avaliado entre US$ 1 milhão e US$ 1,5milhão. As despesas com artilharia devem ficar entre US$ 112 milhões e US$ 168 milhões. O Departamento de Defesa compra cerca de 200 mísseis Tomahawk por ano.

 

O governo americano iniciou sua participação nos combates sem qualquer autorização oficial do Congresso. A Casa Branca ainda não deu sinais de que pedirá recursos emergenciais para as operações militares na Líbia. Os EUA ainda estão envolvidos em outras duas guerras - no Iraque e no Afeganistão - e apresentam um déficit fiscal de US$ 1,3 trilhão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.