1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Promotor que investigava Evo Morales foge para o Brasil e pede refúgio

Andreza Matais, O Estado de S. Paulo

12 Março 2014 | 15h 34

Marcelo Soza alega sofrer perseguição política depois de questionar versão do governo para caso de conspiração

BRASÍLIA - O promotor de Justiça da Bolívia Marcelo Soza pediu refúgio provisório ao Brasil após deixar seu país sob alegação de perseguição política do presidente Evo Morales. A embaixada brasileira em La Paz confirmou ao Estado que Soza entrou no Brasil na terça-feira 11, após autorização da Polícia Federal.

O pedido de refúgio será analisado pela Comissão Nacional de Refugiados (Conare), órgão vinculado ao Ministério da Justiça. Segundo a imprensa da Bolívia, o presidente Evo Morales, ao saber da fuga, classificou o promotor como "delinquente confesso".

Soza era responsável pela investigação de uma suposta conspiração para matar o presidente da Bolívia em 16 de abril de 2009 que resultou na morte, pelas forças de segurança daquela país, de três cidadãos europeus no Hotel Las Américas, em Santa Cruz de la Sierra. A polícia teria descoberto o plano e se antecipado.

O promotor divergiu do encaminhamento que o governo quis dar ao caso e passou a questionar a forma como os europeus foram mortos. Um vídeo revelado pela imprensa na Bolívia mostrou que, na verdade, eles podem ter sido executados pela polícia, pois estavam com as mãos amarradas. A conspiração poderia ser então uma farsa montada pelo governo para garantir apoio popular à Morales.

Soza deve se reunir nesta quarta-feira, 12, em Brasília, com o advogado Fernando Tibúrcio, que também defende o senador boliviano Roger Pinto Molina. O senador fugiu da Bolívia para o Brasil no ano passado também acusando o governo de Morales de perseguição política. A fuga abriu uma crise no governo brasileiro, aliado de Morales.

Assim como Molina, Soza também passou a enfrentar processos judiciais após discordar do presidente da Bolívia e poderia ser preso em seu país.

Leia a nota da embaixada do Brasil em La Paz:

"A embaixada do Brasil informa que no dia 11 de março deste ano, o senhor Marcelo Ricardo Soza Alvarez solicitou pedido de refúgio para a Polícia Federal do Brasil. O pedido será avaliado pela Comissão Nacional de Refugiados (Conare)".