AFP
AFP

Putin assiste a desfile de 'armas invencíveis' da Rússia na Praça Vermelha

Durante o evento anual que marca a vitória da União Soviética sobre os nazistas na 2ª Guerra, Putin assistiu ao desfile de milhares de soldados e a colunas de tanques cruzando a famosa praça, em uma demonstração de poderio militar; veja as imagens da parada

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2018 | 15h36

MOSCOU  - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, acompanhou nesta quarta-feira, 9, o sobrevoo de caças avançados armados com um míssil hipersônico que afirmou serem invencíveis sobre a Praça Vermelha, em Moscou, dias depois de iniciar seu quarto mandato.

Durante o evento anual que marca a vitória da União Soviética sobre os nazistas na 2ª Guerra, Putin assistiu ao desfile de milhares de soldados e a colunas de tanques cruzando a famosa praça, em uma demonstração de poderio militar semelhante àquelas vistas durante a Guerra Fria.

+ Putin promete foco em política interna no quarto mandato

Putin acompanhou o desfile de uma tribuna repleta de veteranos de guerra soviéticos, alguns dos quais exibindo medalhas de campanha e segurando rosas vermelhas. O primeiro-ministro israelense, Byniamin Netanyahu, que está em Moscou para conversar sobre a Síria, também esteve presente, assim como o presidente sérvio, Aleksandar Vucic.

Com apoio da mídia estatal, as autoridades usaram o evento para insuflar o sentimento patriótico e mostrar ao mundo e a possíveis compradores de equipamento militar como um programa de modernização multibilionário está transformando o setor militar russo.

Putin, cujas relações com o Ocidente seguem uma trajetória hostil, disse não querer uma corrida armamentista, mas alertou possíveis inimigos que, por precaução, seu país desenvolveu uma nova geração de armas invencíveis para se proteger.

“Lembramos as tragédias das duas guerras mundiais, as lições da história que não nos permitem ficar cegos. Os mesmos sinais feios estão aparecendo, juntamente com novas ameaças: egoísmo, intolerância, nacionalismo agressivo e reivindicações de excepcionalidade”, disse Putin ao se dirigir à parada.

“Entendemos a grande seriedade destas novas ameaças”, acrescentou o líder russo, que se queixou do que afirmou serem tentativas inaceitáveis de reescrever a história ao mesmo tempo em que disse que a Rússia está disposta a conversar sobre a segurança global se isso ajudar a garantir a paz no mundo.

Entre as armas exibidas na Praça Vermelha estava o lançador móvel de mísseis nucleares intercontinentais Yars, seus lançadores de mísseis balísticos Iskander-M e seu sistema avançado de defesa antimíssil S-400, que Moscou vem usando na Síria para proteger suas forças.

Putin intensificou consideravelmente os gastos militares nos 18 anos que já passou no comando da política russa, concedeu a seus militares uma influência significativa na formulação de políticas e mobilizou suas forças na Ucrânia e na Síria, criando tensões com o Ocidente. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.