Putin e Chávez defendem "mundo multipolar"

O presidente russo Vladimir Putin e seu colega venezuelano Hugo Chávez, que está em visita a Moscou, assinaram hoje um compromisso conjunto para a construção de um mundo "multipolar" que possa enfrentar uma suposta hegemonia norte-americana, e anunciaram "uma nova exortação às ações" para combater o narcotráfico, a pobreza e o terrorismo. Putin e Chávez se saudaram mútua e calorosamente no salão Catarina do Kremlin, brincando e sorrindo. Apontando com um dedo em direção a Putin, Chávez disse ter ouvido falar de sua destreza nas artes marciais. Em seguida, ele próprio simulou uma tacada para demonstrar seu entusiasmo pelo beisebol. Ambos também trocaram elogios para as nações que governam e para o potencial da cooperação. "Na Rússia, nós vemos a Venezuela como um Estado influente na América Latina, como um participante sério no clube das potências mundiais", disse Putin. "O senhor Chávez pertence a uma nova geração de políticos latino-americanos que claramente entendem os interesses nacionais de seus países". Chávez assegurou que seu governo tem um grande interesse na cooperação política, econômica e tecnológica com a Rússia. Elogiou Putin pelo que considerou um renascimento da Rússia. Chávez definiu a declaração como uma "aliança estratégica", enquanto Putin considerou que suas conversações com Chávez buscaram promover "uma luta contra a pobreza, as drogas, o terrorismo e outros males de nosso tempo". Mas nem Putin nem Chávez divulgaram detalhes sobre as ações que recomendaram na declaração, além de um intercâmbio de informações e esforços conjuntos para aumentar a capacitação de seus funcionários em assuntos judiciais. Os dois líderes também pediram oportunidades comerciais justas para os países em desenvolvimento, e reiteraram sua petição aos EUA para que levantem o embargo econômico a Cuba. Além de pedirem a suspensão do embargo, Rússia e Venezuela decidiram hoje, na declaração conjunta, "reforçar suas relações com Cuba" e exigir a integração de Cuba "nas estruturas de desenvolvimento do continente americano".

Agencia Estado,

14 Maio 2001 | 17h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.