REUTERS/Nacho Doce
REUTERS/Nacho Doce

Quatro Estados se preparam para receber imigrantes venezuelanos

São Paulo, Paraná, Amazonas e Mato Grosso do Sul devem receber ao menos mil imigrantes até meados de março, mas ainda não foram comunicados da decisão

O Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2018 | 20h16

São Paulo, Paraná, Amazonas e Mato Grosso do Sul se preparam para receber os venezuelanos que chegam a Roraima. Na quinta-feira, 8, o governo federal prometeu ‘distribuir’, a partir de meados de março, imigrantes que saíram da Venezuela fugindo da crise do país e vivem em cidades de Roraima - estima-se que cerca de 700 venezuelanos atravessem a fronteira com o Brasil todos os dias.

+ Colômbia impõe travas à entrada de novos refugiados venezuelanos

+ Venezuelanos que estão em Roraima serão distribuídos por SP, PR, AM e MS, diz Jungmann

Em São Paulo, o padre Júlio Lancellotti, da pastoral do Povo da Rua, afirmou ao 'Estado' que as autoridades precisam esclarecer onde pretendem colocar os imigrantes que serão enviados para São Paulo, Paraná, Amazonas e Mato Grosso do Sul. "Estão pensando em colocá-los onde? Nos abrigos para moradores de rua? Nas instalações da pastoral  dos imigrantes, como ficaram os haitianos na Paróquia Nossa Senhora da Paz? O pessoal joga a ideia e depois meio que sai correndo, não dá para entender. Como isso vai ser operacionalizado?", questionou o religioso.

"E (em São Paulo) têm essa questão da rejeição como houve com vários grupos de imigrantes que pode se repetir por conta de uma xenofobia ideológica", diz, ao se referir ao fato de os venezuelanos, independente da orientação política, serem associados ao bolivarianismo por parte da população. O assunto está sendo tratado pela Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania e pelo Comitê Estadual para Refugiados (CER), que ainda não se posicionaram oficialmente.

+ Polícia identifica autor de ataque contra venezuelanos em Roraima

Outro dos prováveis destinos de imigrantes venezuelanos, o Paraná aguarda a definição da situação. "Nós temos sim, conhecimento do intenso processo migratório de venezuelanos para o Brasil, especialmente para Roraima, e também de que o Paraná, muito provavelmente, será um dos Estados que deverá receber parte desses migrantes. No entanto, não houve, ainda, qualquer comunicado oficial por parte do Ministério da Justiça, ou de qualquer órgão do governo federal", informou, por meio de nota, a assessoria do governo.

+ Brasil trava embate diplomático e contestador com Venezuela, diz Temer

Em Mato Grosso do Sul, o governo informou que “não recebeu nenhum tipo de notificação sobre o envio de imigrantes venezuelanos de Roraima”. A  secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho, Elisa Cleia Nobre, ressaltou que o fluxo registrado no Estado tem sido de haitianos e sírios que recebem acolhimento, acomodação, emissão de documentos definitivos e até mesmo aulas de português para que possam se integrar a comunidade e ingressar no mercado de trabalho.

A Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos, da Prefeitura de Manaus, informou por meio de assessoria, que ainda não recebeu formalmente um documento sobre a ação, mas que o assunto já foi tratado com o Ministério e que deverá traçar estratégias para acolher os imigrantes. /  Murillo Ferrari, Julio Cesar Lima, Kleber Clajus, Bruno Tadeu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.