Perry Duffin/via REUTERS
Perry Duffin/via REUTERS

Queda de avião mata CEO de multinacional britânica na Austrália

O executivo Richard Cousins, do Compass Group, quatro familiares dele e o piloto do hidroplano morreram após a queda, próximo a Sydney

ANSA

31 Dezembro 2017 | 10h38

SYDNEY - O CEO do Compass Group, a maior empresa mundial de serviços de alimentação, quatro familiares dele e o piloto morreram na queda de um avião de pequeno porte próximo a Sydney, na Austrália, na noite deste domingo, 31. A polícia local confirmou a morte do executivo britânico Richard Cousins, de 58 anos, seus filhos Edward e William, de 23 e 25 anos, além da noiva do empresário, Emma Bowden, de 48, e a filha dela, Heather, de 11 anos, todos naturais da Grã-Bretanha. O piloto australiano Gareth Morgan, de 44, foi a sexta vítima do acidente.

A aeronave, um hidroplano da empresa turística Sydney Seaplanes, caiu no rio Hawkesbury, a cerca de 50 quilômetros ao norte de Sydney. A empresa é especializada em sobrevoos a pontos turísticos da cidade australiana e, há décadas, faz voos especiais na última noite do ano. As causas do acidente são desconhecidas até o momento. Testemunhas informaram que viram o avião girar bruscamente antes de cair na água.

Em nota, o presidente do grupo Compass, Paul Walsh, manifestou solidariedade à família de Cousins e destacou que o empresário "era conhecido e respeitado por sua grande humanidade e estilo objetivo que transformou o Compass em uma das maiores empresas britânicas".

Cousins liderou o grupo nos últimos onze anos e já havia anunciado que deixaria o cargo em março. Ele foi eleito o 11º maior executivo do mundo em 2017 pela revista Harvard Business Review. O grupo informou que o executivo Dominic Blakemore assumirá a posição imediatamente. / Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.