Queda do muro é 'reprovação da tirania', diz Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez uma mensagem surpresa de vídeo para as comemorações que marcaram o aniversário de 20 anos da queda do Muro de Berlim."Não poderia haver uma reprovação mais clara da tirania. Não poderia existir uma afirmação mais forte da liberdade", disse Obama sobre a queda da barreira de concreto que dividiu Berlim Ocidental e Oriental durante 28 anos até 9 de novembro de 1989.

AE, Agencia Estado

09 Novembro 2009 | 19h02

Numa mensagem exibida durante as comemorações no Portão de Brandemburgo, em Berlim, na antiga fronteira entre Berlim Ocidental e Oriental, Obama disse para a multidão entusiasmada: "Mesmo frente à tirania, as pessoas insistiram que o mundo poderia mudar. Mesmo enquanto celebramos esses valores, mesmo quando marcamos esse dia, sabemos que o trabalho da liberdade nunca acaba", disse Obama.

O vídeo foi exibido após a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que cresceu no Estado de Brandemburgo, na comunista República Democrática da Alemanha (RDA), ter atravessado o Portão com outros líderes, como o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev.

"Poucos poderiam prever que uma Alemanha unida seria liderada por uma mulher de Brandemburgo e que seu aliado americano seria liderado por um homem de ascendência africana. Mas o destino humano é aquilo que é feito pelos humanos", disse Obama.

A secretária norte-americana de Estado, Hillary Clinton, representou os EUA nas cerimônias de hoje, que também contaram com o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e com o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown.

"Hoje, ainda existem aqueles que vivem dentro dos muros da tirania. Seres humanos aos quais são negados os direitos humanos verdadeiros que nós celebramos hoje. É por isso que esse dia é tão importante para eles quanto é para nós", disse Obama. "É para aqueles que acreditam que face ao cinismo, às dúvidas e à opressão, os muros podem cair de verdade".

"Não nos deixem esquecer nunca o 9 de novembro de 1989, nem os sacrifícios que o tornaram possível. Juntos, nos deixem manter a luz da liberdade queimando brilhante para todos os que vivem na escuridão da tirania e acreditam na esperança de um dia luminoso", disse Obama. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Alemanha muro Berlim queda Barack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.