Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Internacional

Internacional » Rebeldes ucranianos atacam dos dois lados da fronteira

Internacional

Rebeldes ucranianos atacam dos dois lados da fronteira

Tropas ucranianas recapturaram mais de dez vilas do leste do país de separatistas pró-Rússia, mas Moscou continua a permitir que os rebeldes ataquem postos de fronteira ucranianos em seu território, afirmou nesta sexta-feira o secretário do Conselho Nacional de Segurança ucraniano, Andriy Parubiy.

0

Agência Estado

04 Julho 2014 | 11h52

Segundo ele, a Rússia está concentrando tropas perto da fronteira com a Ucrânia, afirmação que não pode ser verificada. Os dois vizinhos compartilham uma linha fronteiriça de 2 mil quilômetros que não tem marcação ou guardas, a não ser em alguns poucos postos.

A Rússia ainda não havia respondido às afirmações de Parubiy, feitas no momento em que o presidente Petro Poroshenko expressou prontidão para participar de novas conversas de paz já no sábado.

A Ucrânia diz que a Rússia está armando e dando apoio aos separatistas no leste, acusação negada por Moscou. Kiev considera a possibilidade de a Rússia querer tomar mais territórios, depois de o presidente Vladimir Putin ter anexado a Crimeia em março. Os rebeldes pedem união com a Rússia e nacionalistas russos pediram que Putin envie tropas para a Ucrânia, mas Putin tem resistido a esses pedidos por temer a aplicação de mais sanções pelo Ocidente.

Parubiy disse que forças do governo atacam posições rebeldes no leste ucraniano com artilharia e aviões e que 17 vilas haviam sido recapturadas desde que o cessar-fogo unilateral terminou, na segunda-feira. Segundo ele, as forças ucranianas controlam agora 23 das 36 regiões no interior das províncias de Donetsk e Lugansk, as duas regiões ao longo da fronteira com a Rússia que declararam independência de Kiev. Mas eles não controlam as duas principais cidades da região.

Postos de verificação na fronteira ucraniana nas regiões de Lugansk e Donetsk ainda são alvo de ataques, tanto do lado ucraniano quanto do russo, afirmou ele. Uma das razões pela qual o cessar-fogo não foi estendido nesta semana é que os rebeldes não devolveram três postos de fronteira, como Poroshenko havia exigido.

"Os combates com o objetivo de defender a fronteira e liquidar os rebeldes nas regiões de Lugansk e Donetsk continuam", afirmou Parubiy durante coletiva de imprensa em Kiev. "Isso acontece durante a constante movimentação de equipamentos militares e forças armadas da Federação Russa perto da fronteira da Ucrânia."

Insurgentes que estão na província de Lugansk disseram nesta sexta-feira que mataram 125 soldados ucranianos, destruíram nove veículos blindados e derrubaram três aviões de combate desde quarta-feira. Os rebeldes atacaram o aeroporto de Donetsk durante a noite e um repórter da Associated Press que está no local disse que a torre de radar ou comunicação ainda estava em chamas nesta sexta-feira. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.