AP/Andrew Harnik
AP/Andrew Harnik

Reforma beneficia os muito ricos, mas não os ‘meio ricos’

Os bilionários que são donos de empresas podem usar algumas artimanhas para fugir das taxas mais altas

Andrew Ross Sorkin / THE NEW YORK TIMES, O Estado de S.Paulo

21 Dezembro 2017 | 05h00

Segundo o que se lê nas manchetes, o projeto de impostos dos republicanos vai beneficiar desproporcionalmente os ricos. O projeto está sendo chamado de “plano de redução de impostos para milionários”, “presente de Natal para os ricos” e por aí vai. E é verdade: qualquer cálculo feito em cima do joelho mostra que tanto em termos absolutos quanto em porcentagem, a redução beneficia claramente os ricos.

Mas praticamente toda conversa entre americanos abonados hoje parece levar a uma conclusão diferente. Muitos deles se queixam amargamente de que o novo código tributário fará com que paguem mais e não menos impostos. Os telefones dos contadores não param de tocar, com clientes ricos querendo saber de quanto será sua conta e o que podem fazer para reduzi-la. Hein? Alguma coisa não bate?

+ Reforma tributária de Trump afeta Brasil

Você provavelmente está se perguntando como é possível que um plano de impostos que parece cheio de brechas para beneficiar quem está bem de vida – e a família Trump – esteja aumentando a conta para os ricos. Eis a pegadinha: as novas alíquotas penalizam alguns americanos ricos – mas não os mais ricos.

São os “bastante ricos”, situados logo abaixo dos “mais ricos”, que sofrerão o maior impacto. A conta aumentada vai para os que ganham por ano entre centenas de milhares e milhões de dólares e pagam altos impostos estaduais e municipais não totalmente dedutíveis. Assim, altos executivos de grandes empresas com ações negociadas em bolsa que costumam deduzir grandes despesas comerciais não reembolsáveis não mais poderão fazê-lo. Alguns já estão calculando quantos milhões de dólares adicionais terão de pagar.

Mas se você for um bilionário dono do próprio negócio, o plano é uma dádiva divina. Você pode usar alguns truques para fugir das taxas mais altas. As duas saídas mais comuns para os muito ricos são: transferir a renda pessoal para empresas “pass-through”, que pagam uma taxa menor, ou usar a própria empresa para “se pagar” um pequeno salário e grandes dividendos, que serão taxados com impostos mais baixos. Visualize esta manchete para o próximo ano: “Número recorde de novas startups”.

Segundo o Tax Policy Center, 5% dos contribuintes vão pagar mais impostos em 2018; 9% em 2025; e 53% em 2027, se o projeto virar lei. Esses 5% que pagarão mais não estão entre a nata do 1% mais rico.

Jason Harbor, investidor imobiliário que será beneficiado com o novo plano de impostos, escreveu no Twitter: “Por que meu imposto vai baixar e o de meu assistente vai subir? Alguém pode explicar como isso pode ser justo?”.

Grandes executivos de empresas públicas me disseram que preveem um aumento substancial em seus impostos federais porque, ao contrário de seus colegas em outras empresas, eles não podem usar o recurso do pass-through ou outros meios para driblar o leão. Pelo menos um executivo me disse que gostaria de se tornar empresa para reduzir impostos, mas não podia abrir um precedente que induzisse outros funcionários a fazer o mesmo.

O maior prejuízo para alguns será não poder deduzir despesas comerciais, como gastos legais e em contabilidade, além da nova dedução padrão. Essa dedução vai quase dobrar, de US$ 13 mil para US$ 24 mil, mas fica ainda muito abaixo do que custam alguns serviços, que podem chegar a centenas de milhares ou mesmo milhões de dólares. A grande ironia é que muitos desses mesmos executivos que hoje se queixam da subida dos impostos votaram nos democratas e defenderam taxas mais altas para os ricos – até serem eles mesmos atingidos pelo projeto republicano.

“Meu imposto de renda está disparando”, postou no Twitter um comentarista financeiro que assina IvanK. “Não me incomodaria se a arrecadação extra fosse para as pessoas certas, não para as erradas. O Partido Republicano é um partido de vigaristas que servem aos grandes doadores.” Mas, para aqueles cujos impostos vão subir, o descontentamento é bipartidário. “Sou um republicano de Trump que caiu no Taxachussets”, ironizou alguém no Twitter. / TRADUÇÃO DE ROBERTO MUNIZ

É COLUNISTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.