REUTERS/Neil Hall
REUTERS/Neil Hall

Reino Unido proscreve grupo neonazista envolvido em morte de deputada

Ação Nacional, que foi enquadrada na lei antiterrorismo do país

O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2016 | 14h54

LONDRES  - O grupo neonazista britânico Ação Nacional, envolvido no assassinato da deputada Jo Cox, será o primeiro grupo de extrema direita do país designado como terrorista, anunciou nesta segunda-feira, 12, o Ministério do Interior. O grupo será considerado proscrito a partir de sexta-feira. 

"Tomamos medidas para proibir o grupo Ação Nacional. Isso significa que ser membro ou apoiar esse grupo está criminalizado", disse a ministra do Interior Amber Rudd. "A Ação Nacional é uma organização racista, antissemita e homofóbica que glorifica a violência e promove uma ideologia abjeta. Ela não tem lugar no Reino Unido.

Em sua conta no Twitter, o grupo defendeu o "sacrifício" de Thomas Mair, o responsável pela morte de Cox, em 16 de junho, uma semana antes do referendo que selou a saída britânica da UE, a qual a parlamentar se opunha. 

"Vote pela saída, não deixem que o sacrifício desse homem seja em vão. Jo Cox encheu o condado de Yorkshire de subhumanos", diz a mensagem. /AFP

Mais sobre Reino Unido
Mais conteúdo sobre:
Reino Unido Twitter Jo Cox

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.