AP Photo/Manuel Balce Ceneta
AP Photo/Manuel Balce Ceneta

Republicano Paul Ryan anuncia candidatura para presidir Câmara dos Representantes

Congressista americano é considerado por muitos republicanos o único candidato possível no partido

O Estado de S. Paulo

23 Outubro 2015 | 15h35

WASHINGTON - O congressista republicano por Wisconsin Paul Ryan, de 45 anos, anunciou na quinta-feira sua candidatura para ser o próximo presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, o que poderia amenizar o caos vivido pelo Partido Republicano nas últimas semanas.

Ryan, considerado por muitos republicanos o único candidato possível em um partido profundamente dividido e no qual grupos ultraconservadores têm cada vez mais força, decidiu se candidatar após comprovar que tem o apoio da maioria de seus correligionários.

Em comunicado, Ryan, vice-presidente da chapa liderada por Mitt Romney na corrida à Casa Branca em 2012, formalizou sua candidatura, apesar de ter reiterado em múltiplas ocasiões no passado que não estava interessado no cargo ocupado atualmente por John Boehner, congressista pelo estado de Ohio.

"Nunca pensei em ser presidente (da Câmara dos Representantes). Mas prometi a vocês que se pudesse ser uma figura de unidade, me candidataria, e assim o farei", disse Ryan aos republicanos.

"Após falar com muitos dos senhores, escutar suas palavras de ânimo, acredito que estamos prontos para nos movimentarmos como uma equipe única. E estou pronto e entusiasmado para ser seu presidente", completou Ryan. Atualmente, ele comanda o poderoso Comitê de Meios e Arbítrios da Câmara dos Representantes.

O anúncio do republicano ocorreu um dia depois de vários membros de uma das alas mais conservadores do Partido Republicano, o Caucus da Liberdade, mostrarem disposição para apoiar a candidatura.

Cerca de dois terços dos 40 congressistas que formam o grupo aprovaram em uma votação interna o apoio a Ryan, o que garante votos suficientes para ele ser eleito presidente da câmara.

Os republicanos da Câmara dos Representantes votarão para escolher seu candidato à presidência da casa no dia 28 de outubro, dois dias antes de Boehner abandonar o posto.

O próprio Boehner, que anunciou sua renúncia no fim de setembro, informou na quarta-feira aos companheiros de bancada sobre a nova data da votação, depois que o favorito para assumir o cargo, o californiano Kevin McCarthy, desistir da candidatura. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.