1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Republicanos querem alterar lei migratória nos EUA

AE - Agência Estado

09 Julho 2014 | 22h 57

Republicanos pediram nesta quarta-feira mudanças na lei migratória para que muitas das crianças que cruzam ilegalmente a fronteira dos EUA possam ser deportadas mais rapidamente. Alguns disseram que essa mudança deveria ser uma condição para aprovar o pedido do presidente Barack Obama por US$ 3,7 bilhões para conter o fluxo de menores de idade que entram de modo ilegal no país.

Um grupo indicado por republicanos de alto escalão no partido, incluindo o presidente da Câmara dos Representantes, John Boehner, afirmou que vai pressionar pela revisão da lei de 2008 quando considerar o pedido de Obama por US$ 3,7 bilhões em recursos para conter a crise. "Se nós vamos permitir que dinheiro entre para resolver a atual crise, nós temos que fazer algumas mudanças para garantir que isso não ocorra novamente", afirmou o republicano Joe Heck.

Obama tem pedido mais flexibilidade na lei, e nessa quarta-feira sugeriu que as mudanças necessárias fossem incluídas no texto de gastos emergenciais.

No entanto, alguns democratas mostraram desconforto com a mudança e alertaram que a situação não pode ser rapidamente resolvida simplesmente deportando os imigrantes. "Está muito claro que muitas dessas crianças e famílias estão fugindo da violência, e enviá-las de volta pode significar enviá-las de volta a uma situação potencialmente prejudicial ou fatal", disse o democrata Beto O''Rourke.

A lei de 2008, assinada pelo ex-presidente republicano George W. Bush, tinha como objetivo proteger as crianças do tráfico humano. O texto exige que as crianças imigrantes, exceto aquelas vindas do México e do Canadá, sejam enviadas a patrocinadores nos EUA enquanto esperam por uma audiência no tribunal para analisar os casos de deportação. Esse processo pode durar anos. Fonte: Dow Jones Newswires.