Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Internacional

Internacional » Revés no Mississippi abre crise entre republicanos

Internacional

internacional

Revés no Mississippi abre crise entre republicanos

Partido perde eleições em reduto tradicional e prevê desastre nas eleições presidenciais

0

Adam Nagourney e Carl Hulse, The New York Times ,
O Estadao de S.Paulo

16 Maio 2008 | 00h00

A inesperada derrota republicana em uma disputa no Mississippi para a Câmara dos Representantes provocou enorme apreensão no partido e pedidos de republicanos influentes para que seus candidatos se afastem do presidente George W. Bush em eleições futuras. Na terça-feira, a vitória do democrata Travis Childers em um distrito do Mississippi foi a terceira sofrida pelo partido numa disputa especial para o Congresso este ano - as outras foram em Louisiana e Illinois. Além de ser um mau sinal para as eleições presidenciais de novembro, o resultado colocou em dúvida a idéia de que o senador Barack Obama seria um risco para outros candidatos democratas em regiões conservadoras. Os republicanos tentaram vincular Childers a Obama em uma campanha no Estado e acharam que John McCain, que tem fama de independente, seria um modelo que paira acima do rótulo republicano. Assessores de McCain, porém, disseram que a disputa no Mississippi fortaleceu sua intenção de afastar-se ao máximo dos republicanos no Congresso e criticar mais abertamente algumas políticas do presidente Bush. A ansiedade dos membros do partido era evidente ontem ao longo do dia. "Não podemos deixar que os democratas se apoderem dos pontos importantes da nossa plataforma, que se passem por conservadores, ganhem o centro e as eleições. Temos de chamar a atenção de nossos candidatos e fazê-los compreender isso", disse Robert Duncan, presidente do Comitê Nacional Republicano. O deputado republicano Thomas Davis III, ex-líder do comitê de campanha das eleições legislativas do partido, fez uma séria advertência ao afirmar que os republicanos foram profundamente afetados por sua identificação com Bush. Para Davis, a não ser que os candidatos republicanos tomem uma atitude drástica, poderão perder até 20 cadeiras na Câmara e 6 no Senado. "O clima político que se apresenta para novembro é o pior desde Watergate", afirmou Davis. O resultado do Mississippi e o aumento considerável da participação dos negros sugerem que Obama pode pôr em risco algumas cadeiras nos Estados do sul, que até então eram cativas dos republicanos. Segundo assessores de McCain, o problema dos republicanos no Congresso não se reflete em sua candidatura. No entanto, afirmaram que o fato reforça sua decisão de empreender uma campanha que diferencie McCain de Bush e do Congresso. Eles disseram que o candidato republicano fará isso criticando os gastos excessivos de Washington e abraçando causas como a ambiental. O resultado dessas eleições legislativas fez governo e oposição concordarem em uma coisa: Bush é um problema para os republicanos. Para os democratas, a insatisfação manifestada pelos eleitores, combinada com a perspectiva de um comparecimento maciço de negros, faria com que eles ganhassem muitas novas cadeiras no Congresso, o que até bem pouco tempo parecia impensável.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.