Abedin Taherkenareh/EFE
Abedin Taherkenareh/EFE

Rohani aposta em voto das mulheres para ser reeleito no Irã

Para incentivar essa parcela dos eleitores, o presidente insistiu que essa disputa é 'uma conjuntura histórica altamente sensível' na qual se decidirá 'o destino' do país

O Estado de S. Paulo

09 Maio 2017 | 17h52

TEERÃ - O atual presidente do Irã, Hasan Rohani, declarou nesta terça-feira, 9, que a participação das mulheres nas eleições do dia 19 de maio será fundamental para que ele seja reeleito.

"Triunfamos na revolução (de 1979) quando as mulheres entraram em cena. Hoje, nas eleições também, se as mulheres forem às urnas, sairemos vitoriosos", disse em um ato de campanha realizado em Teerã.

Nesse ato com mulheres, Rohani pediu também uma alta participação geral, o que qualificou de "um dever", segundo as declarações divulgadas pela agência oficial Irna.

O presidente está ciente que uma alta participação o favorecerá, pois significaria que muitos reformistas indecisos e desacreditados optariam por apoiá-lo. Para incentivar essa parcela dos eleitores, Rohani insistiu que essa disputa é "uma conjuntura histórica altamente sensível" na qual se decidirá "o destino" do país.

No último debate presidencial televisionado, Rohani disse que no dia 19 o povo terá de escolher entre "um governo totalitário e um que promove as liberdades".

O atual governante foi ainda mais longe na segunda-feira, ao dizer que nas eleições "as pessoas voltarão a dizer 'não' àqueles que só sabem como executar ou encarcerar".

Rohani se referiu aos principais rivais, os candidatos conservadores Ebrahim Raisi, um clérigo com carreira no Judiciário, e Mohammad Baqer Qalibaf, prefeito de Teerã e ex-chefe das Forças de Segurança. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Hassan Rohani Irã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.