Rússia: bombardeios na Síria promoveram 'pânico e deserção' no Estado Islâmico

Os ataques aéreos promovidos pela Rússia desde a última quarta-feira na Síria promoveram "pânico e deserção" entre membros do grupo terrorista Estado Islâmico, afirmou o general russo Andrei Kartapolov, de acordo com a agência de notícias russa Sputnik. Kartapolov, que responde pelo principal centro de operações do Estado, informou que a aviação do país já realizou mais de 60 bombardeios que atingiram ao menos 50 instalações do Estado Islâmico na Síria.

FRANCINE DE LORENZO, Estadão Conteúdo

03 Outubro 2015 | 17h24

"A inteligência captou que os militantes estão deixando as áreas sob seu controle", disse Kartapolov. "Pânico e deserção chegara às suas fileiras. Cerca de 600 mercenários deixaram suas posições e estão tentando chegar à Europa."

O general russo reforçou que as forças aéreas de seu país continuarão a atacar as posições do Estado Islâmico na Síria "com crescente intensidade". "Nós não só vamos continuar conduzindo os bombardeios, como iremos aumentar a intensidade", afirmou.

Segundo ele, os ataques aéreos têm como alvo "centros de comando e controle, armazéns de munições e explosivos, centros de comunicação, minifábricas para a produção de armas para atentados suicidas e campos de treinamento de militantes".

Autoridades dos EUA e ativistas dizem que bombardeios da Rússia miraram grupos de oposição ao presidente sírio Bashar al-Assad, ao invés de posições do Estado Islâmico.

Mais conteúdo sobre:
RÚSSIA SÍRIA BOMBARDEIOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.