Natalia Russo/Agência Estado
Natalia Russo/Agência Estado

Rússia declara 'agentes estrangeiros' veículos de imprensa dos EUA

Nove meios de comunicação americanos foram impactados; medida é resposta à ação similar dos EUA em novembro

O Estado de S.Paulo

05 Dezembro 2017 | 08h08

MOSCOU - O Ministério da Justiça da Rússia classificou nesta terça-feira, 5, como "agentes estrangeiros" nove veículos de imprensa americanos, entre eles a Voz da América, serviço internacional de rádio e televisão, e a Radio Free Europe/Radio Liberty, financiadas pelo Congresso dos Estados Unidos. A ação é uma resposta à medida adotada pelos EUA contra a rede de televisão russa Russia Today (RT) e um parceiro da agência Sputnik. 

No último dia 25 de novembro, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, sancionou uma lei que permite declarar agentes estrangeiros os veículos de imprensa que recebem financiamento do exterior.

De acordo com um comunicado, a medida também se estende a outros sete veículos de imprensa: os sites kavkazr.com, krymr.com, sibreal.org, idelreal.org, factograph.info, a emissora "Azatliq Radiose" e a emissora de TV Nastoiaschee Vremia.

A Câmara Baixa do Parlamento russo estuda um projeto para vetar a entrada na sua sede dos jornalistas dos meios declarados "agentes estrangeiros". A iniciativa é uma resposta à decisão do Congresso dos EUA de retirar as credenciais da emissora de TV RT e da agência Sputnik sob a lei de agentes estrangeiros, aprovada em 1938 para combater a propaganda nazista.

Na semana passada, fontes parlamentares tinham indicado a possibilidade que se recomendasse o veto na Câmara aos jornalistas de todos os veículos de imprensa americanos credenciados no país, um total de 21, segundo o site do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

+ Cidade russa prevê injeção de dinheiro com chegada do Brasil em 2018

O Kremlin antecipou na semana passada que a Rússia não deixará sem resposta "as ações hostis" dos EUA contra a emissora estatal russa RT, que em 13 de novembro foi registrada como agente estrangeiro nos Estados Unidos por exigência da Justiça desse país. Essa emissora e a agência Sputnik são consideradas veículos de propaganda do Kremlin. 

Críticas. A lei foi criticada pelo Conselho Consultivo dos Direitos Humanos da Rússia. "Qualquer meio de comunicação estrangeiro poderia se classificado como agente estrangeiro de forma arbitrária pelo ministério da Justiça", afirmou.

A norma, também criticada pela Anistia Internacional, obriga as entidades envolvidas a apresentar informações às autoridades sobre sua situação financeira e explicar nos documentos e informações produzidas que estão classificadas como "agentes estrangeiros".

O novo texto amplia aos meios de uma comunicação uma lei de 2012 que envolvia apenas as ONGs.

A Rússia ameaçou tomar ações contra o Google se artigos dos sites de notícias russos Sputnik e RT forem colocados em posições mais baixas nos resultados de busca, depois que um comunicado do diretor executivo, Eric Schmidt, pareceu admitir que isso aconteceria.

“É completamente claro que há a necessidade de reagir na mesma moeda a quaisquer violações dos direitos de nossas companhias assim como de nossas mídias de massa”, disse Alexander Zharov, chefe do órgão fiscalizador das comunicações russo, Roskomnadzor. “E a Federação Russa tem todas as ferramentas para fazer isso.” / EFE, REUTERS e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.