AP Photo/Pavel Golovkin, File
AP Photo/Pavel Golovkin, File

Rússia diz que governo da Síria e oposição estão em negociações

Segundo o chanceler Serguei Lavrov, tratativas acontecem antes de possíveis conversas de paz em Astana, no Casaquistão; Comitê de Altas Negociações, que agrupa adversários do presidente sírio, Bashar Assad, disse desconhecer negociação

O Estado de S. Paulo

27 Dezembro 2016 | 11h24

MOSCOU - O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, disse nesta terça-feira, 27, que o governo da Síria está dialogando com a oposição antes de possíveis conversas de paz em Astana, no Casaquistão, relatou a agência de notícias Interfax.

Lavrov não disse onde as negociações atuais estão ocorrendo, e não está claro quais grupos opositores estão participando. O Comitê de Altas Negociações (HNC, na sigla em inglês), um organismo que agrupa adversários armados e políticos do presidente sírio, Bashar Assad, informou não ter conhecimento das tratativas.

O HNC inclui grupos armados que combatem Assad sob a bandeira do Exército Livre da Síria, e participou de uma tentativa fracassada de iniciar conversas de paz no início deste ano.

Na semana passada, Rússia, Irã e Turquia disseram estar prontos para ajudarem a mediar um acordo de paz depois de realizarem conversas em Moscou durante as quais adotaram uma declaração delineando os princípios aos quais qualquer pacto deve se ater.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse que os três países e Assad concordaram que a capital casaque deveria ser o cenário das novas conversas. Lavrov conversou com seu homólogo turco por telefone na terça-feira, e ambos acertaram pressionar por um cessar-fogo e preparar as conversas em Astana, segundo a chancelaria russa.

A agência de notícias RIA citou uma fonte diplomática anônima segundo a qual representantes dos militares russos e turcos estão realizando consultas com a oposição síria em Ancara para saber como um possível cessar-fogo de âmbito nacional poderia ser efetivado. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Rússia Síria Irã Turquia Vladimir Putin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.