Rússia investiga envenenamento de político opositor

Rússia investiga envenenamento de político opositor

Vladimir Kara-Murza, crítico de Putin, foi internado após falência súbita de órgãos

O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2017 | 21h04

MOSCOU - Vladimir Kara-Murza, um político da oposição russa e conhecido crítico do presidente Vladimir Putin, foi internado na UTI de um hospital de Moscou após uma falência súbita de órgãos. A emergência ocorre dois anos depois de Murza ter sofrido um envenenamento suspeito. “Ele está em estado crítico”, disse nesta terça-feira seu advogado, Vadim Prokhorov. 

Aos 35 anos, Murza era aliado de outro político opositor, Boris Nemtsov, que foi morto a tiros perto do Kremlin, em 2015. Até o ano passado, ele era vice-presidente do partido liberal Parnas, chefiado pelo ex-primeiro-ministro Mikhail Kasyanov, que também se tornou crítico de Putin. 

Muraza dirige a fundação Rússia Aberta, de Mikhail Khodorkovsky, um ex-oligarca do petróleo e inimigo declarado do Kremlin. Murza havia sido internado em 2015 após uma falência dos rins ligada a uma suspeita de envenenamento. Na ocasião, os médicos encontraram níveis elevados de metais pesados no seu sangue.

Médicos de Murza informaram que ele respira com a ajuda de aparelhos e não sabem o que causou o colapso de seus órgãos, apenas que se trata de “uma intoxicação por uma substância não identificada”. Segundo a agência oficial RIA Novosti, o Ministério Público abriu uma investigação sobre as denúncias de envenenamento de Murza. / REUTERS e NYT

Mais conteúdo sobre:
Vladimir Putin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.