Russo que matou egípcia grávida pega prisão perpétua

Alexander Wiens, que matou a facadas uma egípcia grávida em uma corte da Alemanha, foi condenado hoje por assassinato. O tribunal estadual de Dresden determinou a pena de prisão perpétua. Pela natureza brutal do crime cometido, ele não poderá receber progressão de regime. Wiens, de 28 anos, nasceu na Rússia e possui cidadania alemã. Ele admitiu ter matado a facadas Marwa al-Sherbini durante uma audiência em 1º de julho. Tentou argumentar, porém, que suas ações não tiveram motivação xenofóbica.

AE-AP, Agencia Estado

11 Novembro 2009 | 15h18

O crime ocorreu durante uma audiência em um processo aberto por Marwa contra Wiens. A mulher, de 31 anos, acusava-o de insultos racistas. Na corte, ele usou uma faca de cozinha para matá-la e ferir gravemente o marido dela, que tentou intervir. O filho do casal, então com 3 anos, testemunhou a agressão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.