AFP PHOTO / Sandy Huffaker
AFP PHOTO / Sandy Huffaker

Secretário de Segurança dos EUA visita fronteira com México para analisar construção de muro

John Kelly anunciou que viajará frequentemente para a região fronteiriça onde estrutura será levantada para tratar com os agentes locais assuntos referentes à proteção do limite

O Estado de S.Paulo

02 Fevereiro 2017 | 09h02

AUSTIN, EUA - O secretário de Segurança Nacional (DHS) dos EUA, o general John Kelly, visitou na quarta-feira a fronteira com o México para estudar a construção do muro prometido pelo presidente Donald Trump, entre outras questões.

O líder americano assinou recentemente uma ordem executiva para acelerar a construção do muro na fronteira, uma obra que, em sua opinião, acabará com a imigração ilegal e o narcotráfico. Trump também reiterou que o México pagará por sua construção, algo que o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, não aceita.

Kelly afirmou ter "uma boa ideia" sobre a construção do muro e explicou que viajará frequentemente para o local com o objetivo de tratar rapidamente com os agentes da fronteira aspectos referentes à proteção do limite.

O secretário se reuniu na cidade de Weslaco, no Texas, a cerca de 14 km da fronteira, com o governador Greg Abbott para abordar os esforços conjuntos para assegurar o limite da fronteira. Além disso, recebeu os últimos relatórios das operações realizadas na região do Vale do Rio Grande pela chefia do Departamento de Segurança Pública (DPS, sigla em inglês) do Estado.

"Em Washington, há muitos pontos de vista sobre o que se deve fazer na fronteira, mas para mim não há nada melhor do que falar com aqueles que trabalham diariamente nela, tanto os agentes do DPS do Texas como os do nosso departamento de segurança", disse Kelly.

Nesta região do Texas já existe um muro e diariamente a polícia da fronteira realiza em média 1 mil detenções de imigrantes ilegais. A área é a segunda com mais mortes de imigrantes ilegais, depois do deserto do Arizona. Ela também é a fronteira com mais pontes internacionais, como a de Tamaulipas, no México, que tem 17 cruzamentos binacionais e 2 ferroviários.

Durante o encontro na sede regional do DPS do Texas, Abbott falou da importância de preservar o desenvolvimento econômico das populações da região da fronteira, mantendo a segurança. "O México é nosso maior parceiro comercial e acredito que devemos assegurar que possamos continuar com esse relacionamento comercial, que já provou ser muito eficaz", afirmou o governador.

Após a reunião, Kelly e Abbott sobrevoaram de helicóptero a região da fronteira que separa os EUA e o México, ao lado do diretor regional da Patrulha da Fronteira, Manuel Padilla, que relatou a ambos as situações que seus agentes enfrentam diariamente. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Estados Unidos Donald Trump Imigração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.