Siemens assina acordos para investir US$ 10,5 bilhões no Egito

A companhia alemã Siemens concordou em investir US$ 10,5 bilhões em projetos para a construção de usinas de energia no Egito que devem ampliar a capacidade de geração do país em um terço. Os acordos foram firmados em uma conferência internacional de investimentos organizada por Cairo em uma tentativa de dar força à sua economia após quatro anos de conflitos.

Estadão Conteúdo

14 Março 2015 | 16h09

O presidente da Siemens, Joe Kaeser, afirmou que os acordos foram assinados neste sábado, após negociações com o presidente Abdel-Fattah el-Sissi. "(O projeto) deve criar mil empregos e estamos prontos para começar o quanto antes", afirmou.

O pacote de investimentos da Siemens inclui acordos da ordem de US$ 4,6 bilhões para a construção de uma usina de 4,4 gigawatts no sul do Egito, o projeto para construir um gerador de energia eólica de 2 gigawatts e uma nova fábrica de pás para turbinas eólicas. Os demais acordos são memorandos de entendimento para o desenvolvimento de outras usinas e subestações nos próximos cinco anos.

O Egito é o país mais populoso do mundo árabe e enfrenta uma crise energética grave, com blecautes que afetam dezenas de milhões de pessoas. A conferência de investimento realizada pelo governo teve o seu segundo dia neste sábado e tem por objetivo reafirmar a empresários que o país é um local atrativo para investimentos, apesar dos ataques de menor escala realizados por militantes islâmicos. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Egito Siemens energia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.