Simpatizantes de Aristide ainda protestam no Haiti

As ruas do centro da capital haitiana foram bloqueadas com carros virados e escombros na noite deste sábado, terceiro dia consecutivo de protestos promovidos por simpatizantes do presidente deposto Jean-Bertrand Aristide para exigir seu retorno. O número de mortos subiu para pelo menos 14 neste sábado, quando mais sete pessoas perderam a vida. Cinco das sete mortes de hoje ocorreram na favela de Village de Dieu, em Porto Príncipe. Os corpos foram encontrados em frente à casa de um líder comunitário anti-Aristide. Na sexta-feira, o comandante de polícia Leon Charles disse que quatro agentes haviam morrido nos choques. De acordo com ele, três policiais foram decapitados e um foi morto a tiros. Hoje, tiros foram disparados para o alto e manifestantes atiravam pedras, afastando a população comum das ruas, relataram testemunhas. A maioria dos comerciantes preferiu não abrir as portas na manhã deste sábado enquanto partidários do presidente deposto convocavam seus correligionários para um terceiro dias de protesto para lembrar o aniversário do golpe de Estado que, em 1991, derrubou o primeiro governo de Aristide. Em 1990, o líder deposto tornou-se o primeiro presidente eleito do Haiti. Meses depois, foi derrubado por um golpe militar. Ele retornou ao poder em 2000, quando foi reeleito. Em fevereiro último, Aristide foi novamente deposto, desta vez por um levante popular. Atualmente, ele está asilado na África do Sul.

Agencia Estado,

03 Outubro 2004 | 04h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.