EFE/EPA/MIRAFLORES PALACE PRESS OFFICE
EFE/EPA/MIRAFLORES PALACE PRESS OFFICE

Sindicato denuncia desaparecimento de jornalista venezuelano

Três dias antes do desaparecimento, Jesús Medina publicou uma mensagem na qual denunciava intimidações

O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2017 | 11h56

CARACAS - O Sindicato dos Trabalhadores da Imprensa na Venezuela denunciou o desaparecimento de um jornalista que publicou recentemente uma reportagem sobre irregularidades em uma penitenciária do país.

+ Líder da oposição na Venezuela se refugia na casa de embaixador chileno

Jesús Medina, repórter do portal dolartoday.com - forte crítico do governo e principal referência do mercado paralelo de divisas - "está desaparecido desde sábado às 18H00", informou o sindicato no Twitter.

Pouco antes, o repórter escreveu uma mensagem em uma rede social, na qual informava ter sido retido, segundo Edison Lanza, relator especial para a liberdade de expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH). "O Estado está obrigado a determinar a situação e paradeiro", afirmou Lanza.

Três dias antes do desaparecimento, Medina publicou uma mensagem na qual denunciava intimidações.  "Atenção! Começam as ameaças contra minha família e minha pessoa pelas publicações da reportagem de Tocorón". A matéria do jornalista contava com fotografias de uma suposta discoteca dentro da prisão, que abriga detentos considerados perigosos.

No dia 6 de outubro, Medina foi detido com um jornalista italiano e outro suíço depois de entrar em Tocorón, no estado de Aragua (norte). Dois dias depois foram liberados por ordem da Promotoria.

+Magistrados expulsos querem Supremo paralelo ao oficial na Venezuela

De acordo com o sindicato, o Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin) negou que Medina estivesse sob seu poder poder. As autoridades venezuelanas não se pronunciaram publicamente sobre o caso. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.