AFP PHOTO / Juan Cevallos
AFP PHOTO / Juan Cevallos

Sobe para 659 o número de mortos em terremoto no Equador

Secretaria de Gestão de Riscos informou que 29.067 pessoas buscaram refúgio em abrigos temporários e 27.732 receberam atendimento médico; 40 pessoas continuam desaparecidas

O Estado de S. Paulo

27 Abril 2016 | 11h38

QUITO - A Secretaria de Gestão de Riscos (SGR) do Equador elevou na terça-feira, 27, para 659 o número de mortos e para 29.067 o de pessoas que tiveram que buscar refúgio em abrigos temporários em decorrência do terremoto de magnitude 7,8 na escala Richter que sacudiu o litoral norte do país no dia 16 de abril.

O último relatório da SGR afirma que 40 pessoas permanecem desaparecidas e 27.732 receberam atendimento médico, 4.605 delas por ferimentos. A SGR confirmou que 113 pessoas foram resgatadas com vida dos escombros e afirmou que 281 escolas foram danificadas pelo tremor.

Desde o momento do terremoto, mais de 900 réplicas de magnitude menor sacudiram a região, 6 delas com intensidade superior a 6 graus na escala Richter.

A província litorânea de Manabí é a mais atingida pelo terremoto ao reportar, até agora, 645 mortos, 33 desaparecidos e 24.117 desabrigados.

O governo equatoriano declarou situação de emergência nas províncias de Esmeraldas, Manabí, Santo Domingo de los Tsáchilas, Guayas, Santa Elena e Los Ríos, assim como o estado de exceção em todo o território nacional. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Equador Terremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.