1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Supertufão se aproxima do Japão e autoridades emitem alertas

ELAINE LIES - REUTERS

07 Julho 2014 | 12h 53

A agência climática do Japão emitiu alertas de emergência, nesta segunda-feira, para que pessoas nas ilhas ao sul do país tomem as precauções máximas, em vista de um supertufão descrito como uma rara tempestade que deve atingir o conjunto de ilhas da região de Okinawa com chuva torrencial e fortes ventos.

O tufão Neoguri já estava com rajadas de mais de 250 quilômetros por hora e pode ganhar ainda mais força à medida que se move para o noroeste, transformando-se em uma “extremamente intensa” tempestade na terça-feira, disse a Agência Meteorológica do Japão (JMA, na sigla em inglês).

O evento, no entanto, não deve ser tão forte quanto o tufão Haiyan, que matou milhares de pessoas nas Filipinas no ano passado.

A JMA emitiu alertas de emergência para tempestades e marés altas para a pequena ilha japonesa de Miyakojima, cerca de 300 quilômetros ao sudoeste da ilha de Okinawa, e também para uma ilha próxima menor.

A agência disse na noite desta segunda-feira (horário local) que também planejava emitir um alerta de emergência para maré alta à ilha de Okinawa, que abriga três quartos dos militares dos Estados Unidos estacionados no Japão.

“Nestas regiões há uma chance de um tipo de tempestade, marés altas, chuvas repentinas e contínuas que vocês nunca viram antes”, disse um representante da JMA em uma coletiva de imprensa. “Esta é uma situação extraordinária, na qual um grave perigo se aproxima."

A tempestade estava ao sul de Okinawa, mas movia-se a 25 quilômetros por hora, sustentando ventos de 180 quilômetros por hora às 19h (7h horário de Brasília), disse a JMA em seu website.

O representante da JMA pediu que as pessoas deixassem as áreas sob risco e tomassem precauções.

Não há usinas nucleares em Okinawa, mas há duas em Kyushu, ilha principal japonesa localizada mais a oeste, que fica na área na qual o tufão provavelmente passará, e uma na ilha de Shikoku, que fica perto de Kyushu e também deve ser afetada.

Todos esses estabelecimentos estão inoperantes, em linha com a atual política nacional. Uma porta-voz da companhia energética Kyushu Electric Power disse que não havia planos específicos relacionados ao tufão, mas que a companhia tinha planos em andamento o ano todo para proteger as usinas.

Cerca de dois a quatro tufões atingem o Japão todos os anos, mas eles são incomuns em julho.

(Por Elaine Lies e Kiyoshi Takenaka)