REUTERS/Bernardo Montoya
REUTERS/Bernardo Montoya

Suprema Corte do México debaterá liberação de uso recreativo de maconha

Juízes vão votar se declaram inconstitucional partes de uma lei federal de saúde que proíbe o plantio e consumo de maconha após uma organização sem fins lucrativos ter pedido um embargo contra uma decisão de 2013 da agência reguladora de saúde Cofepris

O Estado de S. Paulo

17 Outubro 2015 | 20h22

A Suprema Corte mexicana planeja debater uma proposta que pode, na prática, legalizar o consumo e a produção de maconha para uso recreativo numa sessão marcado para fim de outubro.

Os juízes vão votar se declaram inconstitucional partes de uma lei federal de saúde que proíbe o plantio e consumo de maconha após uma organização sem fins lucrativos ter pedido um embargo contra uma decisão de 2013 da agência reguladora de saúde Cofepris.

A audiência está marcada para o dia 28, de acordo com documentos publicado no site da suprema corte.

Em agosto, uma corte de instância mais baixa do México concedeu a uma mãe e um pai o direito de importar medicamentos à base de maconha para tratar de sua filha epilética de 8 anos.

A maconha, com a cocaína e a metanfetamina cristalizada, tem sido uma das maiores fontes de renda dos violentos cartéis de droga responsáveis por dezenas de milhares de mortes no México.

A pressão política pela liberação da maconha no México tem aumentado desde que os Washington e Colorado, nos Estados Unidos, legalizaram a posse e a venda da droga para uso recreativo, em 2012. / REUTERS 

Mais conteúdo sobre:
México maconha uso recreativo da maconha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.