Odd Andersen
Odd Andersen

Suspeito de ataque na Suécia simpatizava com o Estado Islâmico, diz polícia

Uzbeque preso teve pedido de asilo rejeitado e seria deportado do país

O Estado de S.Paulo

09 Abril 2017 | 09h42

ESTOCOLMO - O homem do Usbequistão suspeito de jogar um caminhão contra pessoas em Estocolmo, matando quatro delas, havia manifestado simpatia pelo Estado Islâmico, disse a polícia sueca neste domingo. O suspeito teve pedido de asilo de residência na Suécia rejeitado e estava sendo procurado pelas autoridades para deportação.

"Sabemos que o suspeito havia manifestado simpatia por organizações terroristas, entre elas o Estado Islâmico”, afirmou Jonas Hysing, chefe de operações da polícia nacional, à imprensa.

A polícia informou ainda que o pedido do suspeito de 39 anos, natural do Usbequistão, foi rejeitado em junho de 2016. Em 24 de fevereiro, foi emitido um mandado em seu nome por ele não ter se apresentado para deportação. "Ele não estava presente no endereço que havia fornecido", disse Jonas Hysing. 

O homem é suspeito de ter conduzido um caminhão de cerveja sequestrado contra várias pessoas em uma movimentada rua de compras da cidade na sexta-feira, no que as autoridades qualificaram como um ataque terrorista.

Jan Evensson, da polícia de Estocolmo, afirmou que a polícia mantém mais cinco pessoas detidas por suspeita de ligação com o ataque de sexta-feira e interrogou outras 500 pessoas. Segundo ele, entre as quatro vítimas mortas no ataque em Estocolmo, uma é natural da Grã-Bretanha, uma da Bélgica e duas da Suécia.

O município de Estocolmo, que acompanha os hospitalizados pelo ataque com caminhão, informou que, dos 15 feridos, 10 permanecem em três hospitais da cidade, incluindo uma criança. O porta-voz da prefeitura Patrik Soderberg disse em comunicado que quatro dos dez feridos hospitalizados apresentam ferimentos graves e os outros seis, incluindo a criança, ficaram levemente feridos. / AP

Mais conteúdo sobre:
Suécia Estocolmo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.