Taleban pressiona contra bombas de fragmentação

Os talebans pediram às organizações de direitos humanos que pressionem os EUA para que deixem de utilizar as bombas de fragmentação nos bombardeios contra o Afeganistão. Em particular, o ministro de Educação taleban, Amir Khan Muttaqi, declarou que "as organizações internacionais deveriam pressionar os americanos para que não usem" esse tipo de bombas. Os milicianos pediram também a todas as organizações que retomem as operações parcial ou completamente, já que foram suspensas em razão do conflito. A França, por sua vez, "lamentou" os danos às primeiras vítimas afegãs das bombas de fragmentação lançadas pelos EUA, disse o porta-voz da Chancelaria francesa, François Rivasseau. A França continua afirmando que a intervenção militar é "uma operação de legítima defesa contra os movimentos terroristas no Afeganistão" e que "não se trata de ações dirigidas contra o país", lembrou o porta-voz. Acrescentou, no entanto, que "não há guerra perfeitas". Segundo Rivasseau, a França não foi "exatamente" informada sobre as munições contidas nas bombas lançadas pelos EUA. Leia o especial

Agencia Estado,

26 Outubro 2001 | 13h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.