Taleban tomará Afeganistão se Otan e EUA saírem, diz Abdullah

Ex-chanceler se disse 'extremamente preocupado' com a perspectiva de saída das tropas estrangeiras do país

Agência Estado,

16 Novembro 2009 | 11h38

A milícia fundamentalista islâmica Taleban tomará o Afeganistão se as forças estrangeiras deixarem o país, advertiu nesta segunda-feira, 16, o ex-chanceler Abdullah Abdullah, que disputou com o presidente Hamid Karzai a última eleição presidencial na nação centro-asiática.

 

Veja também:

especialEspecial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão

especialEspecial: As principais ações suicidas a serviço do terror

 

Numa entrevista ao jornal alemão Financial Times Deutschland, Abdullah disse que "o Afeganistão cairá imediatamente nas mãos do Taleban se as forças internacionais se retirarem" e se disse "extremamente preocupado" com a perspectiva de que os soldados dos EUA e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) possam sair de seu país.

 

Os comentários de Abdullah vêm à tona apenas um dia depois de a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, ter dito que seu país "não está interessado em ficar no Afeganistão" e que Washington não trabalha com a possibilidade de uma permanência de longo prazo.

 

Atualmente, EUA e Otan mantêm mais de 100 mil soldados no Afeganistão, dos quais 68 mil são americanos. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deve anunciar dentro de alguns dias o envio de mais dezenas de milhares de soldados ao país centro-asiático.

 

Abdullah declarou-se favorável a um plano do general Stanley McChrystal, comandante militar americano no Afeganistão. McChrystal sugeriu a Obama que sejam enviados mais 40 mil soldados ao país, mas o presidente americano está em processo de revisão da estratégia militar dos EUA e ainda não decidiu se mandará mais soldados para a luta contra a insurgência.

Mais conteúdo sobre:
Taleban Afeganistão Abdullah insurgência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.