Reuters/Richel V. Umel
Reuters/Richel V. Umel

Tempestade tropical Tembin deixa mais de 200 mortos nas Filipinas

Tormenta provocou inundações e desmoronamento de terra; 70 mil pessoas estão desabrigadas

O Estado de S.Paulo

23 Dezembro 2017 | 05h08
Atualizado 26 Dezembro 2017 | 03h44

MANILA - Pelo menos 240 pessoas morreram nas Filipinas devido à tempestade tropical Tembin, que atingiu o sul do país nesta sexta-feira, 22, principalmente a ilha de Mindanao, segundo um novo balanço divulgado pelas autoridades neste domingo, 24.

De acordo com a equique responsável pelos resgates, 159 pessoas estão desaparecidas, enquanto cerca de 70 mil foram forçados a sair de suas casas.

+ Tufão deixa 41 mortos nas Filipinas

A tormenta provocou inundações e desmoronamento de terra que destruíram povoados, como em Tubod. Trinta e seis corpos foram encontrados no rio Salog e várias vítimas na península de Zamboanga.  Segundos as autoridades, muitos morreram em regiãoes que "já não existem" depois da subida de um rio. 

"O rio subiu e levou a maioria das casas. O povoado já não existe", disse Gerry Parami, oficial da polícia de Tubod. "As casas foram derrubadas pelo barro e troncos (de árvores) e só restaram poucas casas de cimento", explicou Parami.

++ Balsa com 251 pessoas naufraga nas Filipinas

Na aldeia de Dalama, onde vivem cerca de 2 mil pessoas, policiais, soldados e voluntários trabalham entre os escombros para buscar mais corpos. As rochas arrastadas pela lama enterraram cerca de 40 casas na região de Piagapo, deixando ao menos dez mortos, disse Saripada Pacasum, oficial da proteção civil.

"Enviamos resgatistas, mas estão fazendo poucos progressos devido às rochas", explicou Pacasum. O agente disse que outras oito pessoas morreram nas inundações na província de Lanao do Sul. As autoridades informaram que há quatro desaparecidos e estimam que 12 mil tiveram de se deslocar.

++ Naufrágio de balsa nas Filipinas deixa 5 mortos

Filipinas sofre a cada ano o desafio de mais de 20 tempestades de grande intensidade, muitas delas mortais, mas a ilha de Mindanao - onde vivem 20 milhões de pessoas - geralmente é protegida desses fenômenos naturais.

Depois de arrasar Mindanao nesta sexta-feira, Tembin seguiu para o oeste pelo mar de Sulu com ventos de 95km/h. Segundo as previsões da agência estatal meteorológica, a tormenta chegará à costa da ilha de Palawan na tarde deste sábado. /AFP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.