AFP PHOTO
AFP PHOTO

Ex-presidente da Coreia do Sul é presa por acusações de corrupção

Park Geun-hye pode ser mantida em uma cela por até 20 dias enquanto é investigada

O Estado de S.Paulo

30 Março 2017 | 16h34

SEUL - A ex-presidente da Coreia do Sul Park Geun-hye foi presa nesta quinta-feira, 30, (manhã de sexta-feira em Seul) por envolvimento em um escândalo de corrupção, anunciou um porta-voz judicial. Um tribunal sul-coreano aprovou um mandado de prisão contra a líder, afastada do poder em março.

Ela pode ser mantida em uma cela por até 20 dias, enquanto é investigada por acusações de suborno e abuso de poder presidencial.

A ordem de prisão preventiva foi pedida na segunda-feira 27 pela Procuradoria, e o tribunal decidiu autorizá-la nesta quinta-feira após a realização de uma audiência que durou quase nove horas e na qual Park prestou depoimento aos juízes.

A ex-mandatária, de 65 anos, perdeu sua imunidade presidencial no dia 10 de março quando o Tribunal Constitucional ratificou seu impeachment, o qual havia sido aprovado pelo Parlamento em dezembro.

Park se tornou a primeira líder democraticamente eleita do país a ser afastada do cargo. Uma eleição presidencial será realizada até meados de maio, segundo a Constituição. Atualmente, a presidência está sendo ocupada de forma interina pelo primeiro-ministro, Hwang Kyo-ahn. / REUTERS e EFE

Reveja: Coreia do Sul confirma destituição da presidente

Mais conteúdo sobre:
Park Geun-hye Impeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.