EFE/Jawed Kargar
EFE/Jawed Kargar

Tropas afegãs recuperam o controle da cidade de Kunduz

Operação foi realizada pelo exército do Afeganistão, polícia e efetivos das forças especiais e contou com o apoio dos Estados Unidos

O Estado de S. Paulo

01 Outubro 2015 | 10h34

CABUL - As tropas do Afeganistão recuperaram nesta quinta-feira, 1, o controle da estratégica cidade de Kunduz, no norte do país, que estava sob domínio dos taleban desde segunda-feira, após uma grande ofensiva iniciada na noite de quarta-feira com apoio aéreo dos Estados Unidos.

"A cidade inteira está livre de insurgentes", afirmou o porta-voz da polícia de Kunduz, Sayd Sarwar Hussaini, que detalhou que a operação militar começou por volta das 21h locais (13h30 de Brasília) de ontem, e continuou até as 4h da madrugada de hoje (20h30 de Brasília de quarta-feira).

A fonte detalhou que a operação "ainda está em curso" e foi realizada pelo exército afegão, pela polícia e efetivos das forças especiais, com apoio aéreo dos Estados Unidos.

O governo do Afeganistão anunciou que pelo menos 200 taleban morreram e outros 90 ficaram feridos na operação.

"É possível ver corpos de insurgentes espalhados por todas as ruas da cidade", garantiu Hussaini. O exército e a polícia estão fortalecendo suas posições em Kunduz e continuarão com a operação até assumirem o controle de toda a província, assinalou.

O centro do Médicos Sem Fronteiras local disse que desde que a cidade foi tomada, recebeu 296 feridos, sendo 64 crianças e 74 em condições críticas.

Moradores descrevem os confrontos nas ruas e as trocas de tiros em várias áreas da região. Um morador afirmou que “as lutas intensas continuam nas ruas da cidade”. “A situação é realmente crítica e está piorando, e eu ouvi a explosão de uma bomba próximo à minha casa”, disse.

O porta-voz do Ministério do Interior do Afeganistão, Sediq Sediqqi, confirmou em seu perfil oficial no Twitter que "as forças de segurança controlam a cidade de Kunduz", e que a cidade "foi recuperada e está livre de terroristas, que sofreram fortes baixas".

Já o porta-voz dos taleban, Zabihullah Mujahid, garantiu, também na rede social, que suas tropas "ainda resistem" em Kunduz, apesar dos bombardeios das forças americanas, e disse que “a bandeira taleban ainda tremula”.

A tomada de Kunduz foi a conquista militar mais importante dos taleban desde que foram tirados do poder em 2001, após a invasão dos Estados Unidos e seus aliados, e ocorreu um dia antes de o presidente Ashraf Ghani completar um ano no poder.

Críticas. O presidente Ashraf Ghani tem recebido inúmeras críticas pela tomada de Kunduz. Recentemente ele fez um discurso televisionado para garantir às pessoas que a cidade seria recuperada.

Nesta quinta-feira, centenas de pessoas se reuniram em frente ao palácio presidencial em Cabul e pediram a sua saída do governo.

“Não estamos felizes com o governo dele, todo dia há confrontos”, disse o estudante de 23 anos Foruzan Haydari. /EFE e ASSOCIATED PRESS

Mais conteúdo sobre:
Afeganistão Kunduz taleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.