1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Trump agradece apoio dos eleitores em Michigan e Mississipi e critica adversários

- Atualizado: 09 Março 2016 | 09h 05

Empresário garante que, mesmo com ‘quantidade enorme de dinheiro’ gasta por seus rivais para tentar desprestigiá-lo, ele será o indicado pelo Partido Republicano para a disputa pela Casa Branca

WASHINTON - O empresário e pré-candidato à presidência dos EUA, Donald Trump, agradeceu na terça-feira o apoio dos eleitores dos Estados de Michigan e Mississipi, e avisou a seus rivais que, mesmo gastando "uma quantidade enorme de dinheiro" para tentar desprestigiá-lo, ele será o indicado do Partido Republicano para a corrida pela Casa Branca.

"Todos e cada um dos que me atacaram brutalmente estão caindo. Começamos sendo 17 (pré-candidatos republicanos) e agora somos 4, e os outros não estão indo muito bem nesta noite", disse Trump em entrevista coletiva na Flórida, após saber dos primeiros resultados da rodada eleitoral.

Dentre suas declarações, disse quer adotar técnicas de tortura ‘muito piores’ que as de George W. Bush, e quer construir um muro na fronteira com o México e fazer com que os mexicanos paguem por ele. Além disso, já zombou da aparência de alguns ex-pré-candidatos, como Carly Fiorina e Marco Rubio

Dentre suas declarações, disse quer adotar técnicas de tortura ‘muito piores’ que as de George W. Bush, e quer construir um muro na fronteira com o México e fazer com que os mexicanos paguem por ele. Além disso, já zombou da aparência de alguns ex-pré-candidatos, como Carly Fiorina e Marco Rubio

O magnata do setor imobiliário agradeceu também pelo telefonema que recebeu do líder republicano e presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan, por quem disse ter grande respeito, e convidou o establishment do partido, que foi alvo de suas críticas durante toda a campanha, a se juntar a seu "movimento" para ajudá-lo a ganhar as eleições.

"Uma das coisas que me deixam mais feliz nesta campanha está sendo a grande participação dos republicanos, enquanto a dos democratas está abaixo em 30%. Espero que os republicanos prestem atenção nisto, porque temos que ser efetivos", acrescentou Trump.

O magnata quis "felicitar" com ironia os grupos de pressão por terem conseguido "muito rapidamente US$ 39 milhões" para o atacarem, algo que, em sua opinião, o ajudou a ganhar os eleitores decepcionados com os políticos tradicionais.

"Há muita gente que me diz: 'Donald, tenho 67 anos, nunca votei, sequer estive perto de votar e agora vou votar'. Isto é incrível", explicou o pré-candidato.

Donald Trump: magnata, celebridade e pré-candidato à Casa Branca
AP Photo/John Minchillo
Donald Trump: magnata, celebridade e pré-candidato à Casa Branca

Donald John Trump, 69 anos, é um magnata do setor imobiliário e pré-candidato pelo Partido Republicano à presidência dos EUA

Sobre os resultados negativos do senador pela Flórida Marco Rubio, Trump considerou que o rival "deverá tomar uma decisão" em breve sobre seu futuro na corrida republicana, e destacou que ele não deveria ter sido "tão hostil". "Ele deveria ter ficado como estava antes", afirmou o magnata sobre os ataques do "pequeno Marco", como Trump segue chamando o senador em tom pejorativo.

O bilionário também criticou seu principal rival na corrida republicana, o senador pelo Texas Ted Cruz. "É interessante, porque ele não para de dizer que é o único que pode me vencer, mas nunca vence. O fato é que vamos muito bem e Ted vai se dar muito mal", anunciou Trump, apesar de seu oponente ter lhe vencido em seis eleições primárias.

Trump venceu as primárias de Michigan e Mississipi e, com isso, levou a maioria dos 99 delegados que estavam em jogo nos dois Estados dos 1.237 necessários para se conseguir a candidatura presidencial.

O magnata prometeu "devolver a indústria automobilística" a Michigan, Estado símbolo do antigo apogeu industrial dos EUA, que entrou em declínio com a desindustrialização, e afirmou que os evangélicos do Mississipi o apoiaram maciçamente porque ele é "o melhor" e porque eles sabem que Cruz "está mentindo". /EFE

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX