THOMAS COEX/AFP
THOMAS COEX/AFP

Trump ameaça cortar ajuda financeira a países por votação na ONU sobre Jerusalém

Assembleia-Geral fará reunião de emergência para votar resolução condenando o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel

O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2017 | 17h10

WASHINGTON - O presidente Donald Trump afirmou nesta quarta-feira, 20, que os Estados Unidos poderão cortar a ajuda financeira dos países que pensam em votar na ONU uma resolução condenando o reconhecimento por Washington de Jerusalém como a capital de Israel.

+ Israel rejeita decisão judicial para devolver corpos de militantes do Hamas

Em declarações na Casa Branca, Trump se referiu aos países que devem condenar o anúncio feito por ele no começo do mês como "nações que tomam o nosso dinheiro e votam contra nós no Conselho de Segurança".

"Tomam centenas de milhões de dólares e inclusive bilhões de dólares e depois votam contra nós. Bem, estaremos observando estes votos", afirmou Trump. "Deixem que votem contra nós. Economizaremos um montão. Não nos importa", completou.

A Assembleia-Geral da ONU realizará uma sessão de emergência nesta quinta-feira para votar o projeto de resolução depois que os EUA vetaram uma medida semelhante no Conselho de Segurança. Turquia e Iêmen pediram a reunião em nome dos países árabes e da Organização de Cooperação Islâmica (OCI).

+ Trump abala acordo entre Fatah e Hamas

O projeto da resolução que será votado pelos 193 da Assembleia-Geral não menciona a decisão de Trump, mas expressa "grande preocupação sobre as recentes decisões sobre o status de Jerusalém". 

Na terça-feira 19, a embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Halley, advertiu que informaria a Trump os nomes dos países que respaldassem o projeto de resolução, medida que o chanceler palestino Riyad al-Malki classificou como "ameaças" de Washington aos integrantes da Assembleia-Geral. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.