Trump e rei da Jordânia reafirmam compromisso contra Estado Islâmico

Presidente norte-americano elogiou postura do país do Oriente Médio contra terrorismo

O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2017 | 04h09

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump e o rei da Jordânia, Abdalá II, tiveram nesta quinta-feira, 2, um breve encontro em Washington. Eles abordaram a luta conjunta contra o Estado Islâmico e o conflito na Síria.

De acordo com a Casa Branca, Trump mostrou o compromisso dos Estados Unidos com "a segurança, a estabilidade e a prosperidade" da Jordânia. O presidente norte-americano também considera que o país do Oriente Médio é líder regional na "promoção da paz e da estabilidade".

O presidente norte-americano também destacou a Jordânia como um "modelo de tolerância e moderação".

Ambos líderes abordaram o conflito na Síria e Trump destacou as contribuições da Jordânia na luta contra os jihadistas do EI e transmitiu ao rei jordaniano a proposta de construir "zonas seguras" na Síria.

A Jordânia é membro da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos que enfrenta o EI na Síria e no Iraque, países vizinhos.

Em junho do ano passado, a Jordânia foi alvo de um atentado a bomba na fronteira com a Síria, no qual morreram seis soldados. Outro ataque suicida 15 dias depois deixou sete militares mortos.

Além disso, o EI também perpetrou um ataque em dezembro contra a cidade histórica de Al Karak, no sul da Jordânia, no qual 14 pessoas morreram. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.