Alex Brandon/AP Photo
Alex Brandon/AP Photo

Trump quer aumentar gastos com defesa e reduzir orçamento do Departamento de Estado

Segundo fontes com conhecimento sobre o assunto, presidente americano teria pedido ao Pentágono mais dinheiro para a construção naval e aeronaves militares

O Estado de S.Paulo

27 Fevereiro 2017 | 10h27

WASHINGTON - A Casa Branca vai enviar nesta segunda-feira, 27, aos departamentos federais uma proposta de orçamento citando um aumento de gastos de defesa prometido pelo presidente, Donald Trump, financiado parcialmente por cortes no Departamento de Estado dos EUA, na Agência de Proteção Ambiental e em outros programas não relacionados à defesa, afirmaram duas autoridades com conhecimento sobre o assunto.

Uma delas disse que o pedido de Trump para o Pentágono incluiu mais dinheiro para a construção naval, aeronaves militares e o estabelecimento de "uma presença mais robusta em importantes vias navegáveis ​​internacionais", como o Estreito de Hormuz e o Mar da China Meridional.

Uma segunda autoridade disse que o orçamento do Departamento de Estado poderia ser cortado em até 30%, o que forçaria uma grande reestruturação e eliminação de programas.

Os funcionários pediram anonimato porque o projeto de orçamento ainda não havia sido divulgado.

Trump, em discurso aos ativistas conservadores na sexta-feira, prometeu "um dos maiores acúmulos militares na história americana".

Alguns especialistas em defesa questionam a necessidade de um grande aumento nos gastos militares dos EUA, que já está em cerca de US$ 600 bilhões por ano. Em contraste, o país gasta cerca de US$ 50 bilhões anuais com o Departamento de Estado e assistência externa.

Tributos. A primeira proposta orçamentária de Trump irá poupar grandes programas sociais, como a previdência e assistência médica, de quaisquer cortes, disse o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, em entrevista transmitida no domingo.

Ele disse que Trump usaria um discurso político importante para uma sessão conjunta do Congresso na noite de terça-feira para visualizar alguns elementos de seus planos radicais para cortar impostos para a classe média, simplificar o sistema tributário e tornar as empresas americanas mais competitivas mundialmente com menores taxas e mudanças para incentivar a fabricação nos EUA.

Falando ao programa "Sunday Morning Futures", da emissora Fox News, Mnuchin, que reconheceu a reforma tributária como sua maior prioridade política, disse que o plano orçamentário não irá buscar corte de programas de benefícios federais.

"Não estamos tocando nisso agora. Então não esperem ver isso como parte deste orçamento", disse Mnuchin sobre os programas, de acordo com a Fox. "Estamos muito focados em outros aspectos e isto é o que é muito importante para nós. Esta é a prioridade do presidente."

O plano de Trump irá reduzir o número de suportes de impostos para indivíduos e oferecer um "corte de imposto de renda média", disse Mnuchin. No âmbito comercial, Trump quer "criar um campo nivelado para que companhias dos EUA consigam competir no mundo". / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.