REUTERS/Stringer
REUTERS/Stringer

Ucrânia culpa serviços secretos russos por queda do Boeing 777 da Malaysia Airlines

Premiê ucraniano afirma que não tem dúvidas de que o acidente foi planejado pela Rússia e que ‘separatistas bêbados não sabem conduzir os sistemas Buk’

O Estado de S. Paulo

13 Outubro 2015 | 11h07

KIEV - A Ucrânia acusou nesta terça-feira, 13, os serviços secretos russos de planejar a queda em julho de 2014 do avião da Malaysia Airlines com quase 300 pessoas a bordo na região de Donetsk.

"Pessoalmente, eu não tenho dúvida de que esta foi uma operação para derrubar o avião MH17 da companhia aérea malaia planejada pelos serviços secretos russos", disse Arseni Yatseniuk, primeiro-ministro ucraniano, durante uma reunião do governo.

Yatseniuk ressaltou que o ataque "foi realizado no território controlado exclusivamente pelos guerrilheiros russos, e não há dúvida alguma que separatistas bêbados não sabem conduzir os sistemas Buk".

"Isto significa que esses sistemas foram manuseados exclusivamente por militares russos", comentou, antecipando que a Ucrânia apresentará hoje os resultados de sua investigação sobre a catástrofe.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, abordou hoje este assunto por telefone com o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, em reunião na qual foi abordada a criação de um mecanismo para que os culpados pela catástrofe se apresentem à Justiça.

A Ucrânia e as chancelarias ocidentais defendem a criação de um tribunal internacional para julgar os responsáveis pela tragédia. Kremlin e separatistas se opõem à medida.

Desde o início, a Ucrânia acusa os separatistas pró-Rússia de abater o avião com um míssil Buk, de fabricação russa, fato negado tanto por Moscou quanto por insurgentes, que acusam Kiev de atacar a aeronave com um de seus caças. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Ucrânia avião acidente Boeing 777 Rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.