AP
AP

UE exorta Irã a suspender todas as execuções

UE diz que 'o Irã é o líder mundial no uso da pena de morte por habitante'

AE, Agência Estado

06 Janeiro 2012 | 16h32

BRUXELAS - A União Europeia (UE) expressou preocupação nesta sexta-feira, 6, com o alto número de execuções no Irã e pediu que o país persa deixe de realizá-las. A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, afirmou que centenas de pessoas foram executadas em 2011, "fazendo o Irã o líder mundial no uso da pena de morte por habitante".

"Estou profundamente preocupada com o número de execuções no Irã em 2011", disse ela. As execução foram realizadas, acrescentou, "após julgamentos injustos, sem o direito de apelação e por crimes que, de acordo com padrões internacionais, não deveriam resultar na pena de morte".

Milhares de pessoas permanecem correndo o risco de serem executadas, entre elas o pastor Youcef Nadarkhani e Sakineh Mohammadi Ashtiani, cuja sentença por apedrejamento, em 2006, provocou condenação internacional, disse a chefe da diplomacia europeia. "A UE reitera seu pedido para o Irã não executá-los", afirmou Ashton, renovando um apelo para o Irã introduzir uma moratória nas penas de morte.

 

As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
UE Irã pena de morte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.