Um americano e dois ingleses recebem Nobel de Medicina

Um pesquisador americano e dois ingleses venceram o prêmio Nobel de Medicina hoje por suas descobertas sobre desenvolvimento de células. Os estudos devem resultar em novos tratamentos contra o câncer. Os pesquisadores são Leland H. Hartwell, de 61 anos, do Fred Hutchinson Cancer Research Center em Seattle, R. Timothy Hunt, de 58 anos, do Imperial Cancer Research Fund de Hertfordshire, Inglaterra, e Paul M. Nurse, de 52 anos, do Imperial Cancer Research Fund de Londres. As descobertas dos três cientistas permitiram maior compreensão sobre o ?desenvolvimento de células cancerosas e podem ser aplicadas nos diagnósticos de tumores, além de, a longo prazo poderem ser utilizadas em terapias contra a doença?, explicou o Instituto Karolinska, em Estocolmo, responsável pela escolha dos premiados. Os vencedores deverão dividir o valor de US$ 943.000 e foram selecionados entre diversos indicados entre professores, cientistas que já haviam recebido o prêmio e especialistas de todo o mundo. A escolha final foi feita numa votação, esta manhã, da qual participaram mais de 50 professores do prestigiado Instituto Karolinska. O vencedor do Nobel de Física deverá ser anunciado amanhã e, na quarta-feira, serão divulgados os nomes dos escolhidos para receber os prêmios de Química e Economia. Na sexta-feira será divulgado o vencedor do Prêmio Nobel da Paz. Como o prazo para indicação de nomes para o prêmio terminou em fevereiro, é pouco provável que o vencedor do Nobel da Paz tenha alguma relação com os ataques terroristas de 11 de setembro. Como nos anos anteriores, a data do anúncio do Nobel de Literatura será conhecida com apenas dois dias de antecedência, mas a tradição é de que o prêmio seja divulgado numa quinta-feira do mês de outubro. Os prêmios são entregues em 10 de dezembro, data da morte de Nobel, em 1896. Para marcar o centenário do prêmio, todos os vencedores do Nobel que estão vivos foram convidados para cerimônias em Estocolmo e Oslo. Entre os participantes devem estar o presidente da África do Sul, Nelson Mandela, e o ex-líder soviético Mikhail Gorbachev. O primeiro Nobel de Medicina foi recebido por Emil Adolf von Behring, da Alemanha, pela descoberta da vacina contra difteria. Os vencedores do ano passado foram Arvid Carlsson, da Suécia, e Paul Greengard e Eric Kandel, dos Estados Unidos, por pesquisas sobre a transmissão de sinais entre as células cerebrais, que permitiram uma melhor compreensão do funcionamento do cérebro e de tratamentos neurológicos e psiquiátricos.

Agencia Estado,

08 Outubro 2001 | 07h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.