Um de cada quatro italianos "justifica" Bin Laden

Um em cada quatro italianos "compreende" a posição de Osama bin Laden e, em alguma medida, "justifica" ou "entende" o atentado de 11 de setembro, segundo pesquisa divulgada, nesta segunda-feira, pelo jornal milanês Corriere della Sera. "A orientação ´compreensiva´ dos ataques terroristas derivam da interpretação destes como uma reação à política americana, que usou de selvageria similar em outros contextos, matando inutilmente inocentes, como no embargo ao Iraque", explicou o diário. Segundo se deduz do surpreendente resultado da sondagem, os italianos mais "compreensivos" em relação ao milionário saudita procurado por terrorismo são aqueles entre 50 e 60 anos, que possuem nível de estudo médio e afirmam assistir regularmente a serviços religiosos. As diferenças de opinião mais nítidas se observam quando se leva em conta a orientação política dos entrevistados. Entre os italianos que "se sentem" esquerdistas, a porcentagem dos que consideram "absolutamente incorreta" a opinião de Bin Laden desce a menos de 20%, enquanto se situa em 36% a faixa dos que acreditam que ela é, "em parte, correta". Entre os italianos que se definem como de centro-esquerda, só 25% condenam absolutamente a conduta do suposto mentor saudita dos ataques. Leia o especial

Agencia Estado,

22 Outubro 2001 | 17h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.