Um pouco de brasileiro na política italiana

Há um brasileiro entre os novos parlamentares italianos que tomaram posse ontem em Roma, entre muitas outras curiosidades e novidades da nova Assembléia. Renato Mosella nasceu em Porto Alegre, tem 44 anos, e foi eleito pela região do Lazio pela coligação "Paese Nuovo". Outra curiosidade está na diferença de idade entre os novos parlamentares. Há 67 anos de diferença entre a parlamentar mais jovem, Chiara Moroni, do novo PSI (Partido Socialista Italiano), e o mais velho, que é o senador vitalício Francesco De Martino, nascido em 31 de maio de 1907. Algumas das curiosidades estatísticas sobre a nova composição, ainda incompleta, do novo Parlamento são as seguintes: no Senado, o mais velho é Fracesco Servello, nascido em 3 de outubro de 1921; e o mais jovem é Giuseppe Valditara, nascido em 12 de janeiro de 1961; na Câmara, o mais velho é Filippo Mancuso, nascido em 11 de julho de 1922; e a mais jovem é Chiara Moroni, nascida em 23 de outubro de 1974. Quanto às mulheres, sua presença foi reduzida. Por enquanto, as deputadas são em número de 64 e as senadoras, de apenas 25. O décimo-quarto Parlamento italiano foi bastante renovado em relação ao precedente. São 188 novos parlamentares no Senado e 250 na Câmara. Em relação às profissões, as mais comuns entre os parlamentares parecem ser as de médico e advogado, com aumento do número de jornalistas. Os "estrangeiros", além do brasileiro deputado Renato Mosella, são De Brasi, nascido em Trazegnies, na Bélgica; Galvano, em Mattuglie, na ex-Iugoslávia; Jacini, em Lausanne, na Suíça; Mantovani, em Manresa, na Espanha; Minoli Rota, na Cidade do México; Paoletti Tangheroni, no Cairo, no Egito; e Violante, em Dire Daua, na Etiópia. No Senado, a senadora De Zulueta nasceu em Bogotá, na Colômbia, e Servello nasceu em Cambridge, Massachussets, nos Estados Unidos.

Agencia Estado,

31 Maio 2001 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.