1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Vai a 30 o número de mortos em instalação da Pemex

AE - Agência Estado

20 Setembro 2012 | 13h 36

Mais um empregado morre na petrolífera mexicana; país precisará importar gás dos Estados Unidos

Mais um trabalhador da estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) morreu no hospital nesta quinta-feira, elevando para 30 o número de mortos na explosão e incêndio de um centro receptor de gás natural próximo à fronteira com os EUA, ocorrida há dois dias. A companhia afirmou que precisará importar mais gás natural por causa do incidente.

Ficaram feridos dezenas de trabalhadores da Pemex e de outras empresas menores que trabalham para ela no local. O chefe de produção da petrolífera, Carlos Morales, afirmou que a companhia terá que importar gás natural dos Estados Unidos. Mas, mesmo antes da explosão, a menor produção registrada neste ano já causava escassez.

Em julho, a estatal mexicana importou 33,9 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. No mesmo período do ano passado as importações foram de 23,8 milhões de metros cúbicos por dia.

O incêndio ocorreu na manhã de terça-feira (horário local) em um polo operado pela Pemex em Reynosa, que faz fronteira com a cidade texana de McAllen, no Estado de Tamaulipas.

Funcionários da empresa afirmaram que um vazamento acidental parece ter sido a causa da tragédia e que não há sinais de sabotagem, ainda que esteja em andamento uma investigação federal que inclui a Procuradoria Geral da República. As informações são da Dow Jones e Associated Press.