Vaticano pune arcebispo que se casou em Nova York

Um arcebispo católico que contraiu núpcias no domingo, em casamento coletivo presidido pelo sacerdote Sun Myung Moon em Nova York, colocou-se "fora da Igreja" e já não pode ser considerado bispo, anunciou hoje o Vaticano. O porta-voz do Vaticano acrescentou que nos próximos dias serão anunciadas outras sanções contra o arcebispo Emmanuel Milingo, entre as quais está sendo considerada sua excomunhão. O arcebispo, de 71 anos, casou-se ontem em uma cerimônia coletiva no hotel Hilton de Nova York. A noiva - a médica sul-coreana Marie Sung, de 43 anos - foi batizada dias antes pelo reverendo Moon, disse o sacerdote Phillip Schanker, porta-voz da Federação da Família pela Paz e a Unificação Mundial, o grupo central do movimento de Moon. Schanker acrescentou que o casal pretende radicar-se na África. Em uma declaração, Milingo disse ter mantido o voto sacerdotal do celibato desde 1958, mas ter decidido que havia chegado o momento de o catolicismo mudar. Ao ser interrogado pela imprensa sobre se a Igreja o excomungaria, ele respondeu que "isto não me afeta", acrescentando que ainda se considerava católico e que os ensinamentos religiosos de Moon eram coerentes com a Bíblia. Já o Vaticano, através de seu porta-voz Joaquín Navarro Valls, diz que a Santa Sé "lamenta profundamente" o gesto de Milingo. Acrescenta que o matrimônio coloca o arcebispo "fora da Igreja Católica", e que ele "infringiu uma grave ferida na comunhão" que os bispo da Igreja devem demonstrar. Milingo foi arcebispo de Lusaka, em Zâmbia, quando iniciou uma controvérsia com o Vaticano a respeito de suas curas pela fé e a prática de exorcismos. Renunciou sob pressão em 1983 - um caso muito raro em um arcebispo com idade inferior à da aposentadoria compulsória e com boa saúde. Convocado a Roma, onde foi designado funcionário do Pontifício Conselho Pastoral de Migrantes e Itinerantes, continuou com suas ações públicas de cura pela fé e exorcismo. No ano passado, foi discretamente afastado do cargo.

Agencia Estado,

28 Maio 2001 | 13h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.