REUTERS/Andres Martinez Casares
REUTERS/Andres Martinez Casares

Venezuela prende líder de ataque a base militar

Capitão Juan Caguaripano é acusado por Caracas de ser o autor material e intelectual da ação rebelde

O Estado de S.Paulo

11 Agosto 2017 | 23h54

CARACAS - O governo venezuelano anunciou que os líderes do ataque de domingo passado ao Forte Paramacay, no norte do país, foram capturados pelas forças de segurança.

Segundo o ministro da Defesa, general Vladimir Padrino, foram capturados "os autores materiais e intelectuais do ataque paramilitar e terrorista" ao Forte Paramacay, Estado de Carabobo (norte): capitão Juan Caguaripano Scott e o primeiro-tenente Jefferson García.

"Esta captura foi um duro golpe no terrorismo fascista que a direita venezuelana tem posto em prática nos últimos meses. Quem trair a pátria, quem fizer armas contra a FANB (Força Armada) e o povo receberá um castigo exemplar", acrescentou.

Na madrugada de domingo, cerca de 20 homens invadiram o Forte Paramacay. Dois atacantes foram mortos em combates que se estenderam por três horas e oito foram detidos, entre eles um homem ferido.

O grupo era encabeçado por Caguaripano, que estava no exílio depois de ser expulso em 2014 da Força Armada por rebelião e traição.

Após o ataque, Caguaripano conseguiu fugir e subtrair armas da instalação, assim como García, acusado de ter feito vazar informação aos atacantes sobre a segurança do Forte Paramacay. Segundo Padrino, era o encarregado pelo armamento.

A tensão é crescente na Venezuela, em meio a protestos que exigem a saída do poder de Nicolás Maduro e que já deixaram 125 mortos em quatro meses, aprofundada por uma Assembleia Constituinte instalada na semana passada que a oposição qualifica como uma manobra para instaurar uma ditadura. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.