Vídeo de casal saudita dançando põe em dúvida papel da polícia religiosa

Com as recentes reformas no reino, integrantes da Comissão para a Promoção da Virtude e a Prevenção ao Vício perderam função policial e têm deixado de atuar como juízes da moralidade nas ruas do país

O Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2018 | 17h30

RIAD - A postagem de um vídeo em que uma mulher coberta por um véu islâmico aparece dançando com um homem em uma movimentada rua de Abha, na Arábia Saudita, tem ocasionado um intenso debate sobre a queda de influência no país dos Mutaween, os policiais da anteriormente toda-poderosa guarda religiosa saudita, corporação que cuida da segregação entre os sexos no reino árabe.

Durante décadas, os integrantes da Comissão para a Promoção da Virtude e a Prevenção ao Vício atuaram como juízes da moralidade, patrulhando as ruas dando advertências a mulheres com unhas pintadas ou castigando os homens que buscassem contato com o sexo oposto.

Nos últimos anos, porém, o regime saudita iniciou uma série de reformas que aplicam no país um islamismo mais moderado, retirando a função policial dos guardiões oficiais da religião.

Mas o breve vídeo do "baile", gravado na capital da longínqua província de Asir, tem provocado polêmica entre os sauditas, e houve quem pedisse a prisão do casal.

Em meio a indignados comentários em redes sociais, que deixam transparecer o ressentimento de alguns setores conservadores da sociedade local diante da perda de poder dos mutaween, as autoridades sauditas se comprometeram a atuar rapidamente.

"Onde está a polícia religiosa? Seu silêncio significa aprovação?", perguntam-se alguns internautas sauditas.

A perda de influência dos mutaween ocasiona, por outro lado, um profundo alívio entre os jovens do país. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Arábia Saudita [Ásia] religião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.