Reprodução
Reprodução

Vídeo mostra agressão de policial branco a estudante negra na Carolina do Sul

Imagens capturadas por outros estudantes da Escola Secundária de Spring Valley mostram policial - identificado como Ben Fields - usando força desproporcional para tirar jovem da sala de aula

O Estado de S. Paulo

27 Outubro 2015 | 14h57

COLÚMBIA, EUA - As autoridades da Carolina do Sul iniciaram nesta terça-feira, 27, uma investigação depois da repercussão causada por dois vídeos publicados na internet na noite de segunda-feira que, aparentemente, mostram um policial agredindo uma estudante negra na tentativa de retirá-la da sala de aula.

Nas imagens (assista abaixo) é possível ver que o policial agarra a aluna pelo pescoço enquanto ela está sentada e a derruba antes de imobilizá-la no chão da sala de aula. Os vídeos geraram uma nova onda de protestos e reclamações sobre a forma como a polícia - em especial os agentes brancos - tratam os negros nos Estados Unidos.

O xerife do condado de Richland, Leon Lott, afirmou para uma emissora da Carolina do Sul que o oficial que aparece nas imagens foi chamado para tirar a aluna da sala de aula em razão do comportamento desordeiro dela. O caso aconteceu na Escola Secundária de Spring Valley, que tem cerca de 2 mil estudantes - dos quais 52% são negros e 30% são brancos.

As autoridades não divulgaram o nome da estudante nem do policial, mas outros alunos da instituição o identificaram como Ben Fields, que aparece na lista do distrito policial do condado como um dos dois policiais designados para ocorrências na escola. Em sua biografia online, Fields é identificado como técnico da linha de defesa da equipe de futebol americano da escola e também como treinador de força e condicionamento.

O jornal The New York Time deixou um recado de voz no telefone do policial, mas ele não retornou a ligação.

De acordo com o vídeo divulgado na internet, o policial se aproxima da aluna e pede que ela o acompanhe para fora da sala de aula. Quando ela ele recusa, ele agarra os braços da aluna e coloca os seus braços ao redor do pescoço da jovem fazendo com que, ao tentar se desvencilhar, a menina virasse a cadeira. Na sequência, o policial a imobiliza no chão da sala de aula.

O que acontece depois não é possível determinar com precisão porque o ângulo de filmagem está bloqueado por outros alunos. É possível ouvir, no entanto, o policial dizer para outros estudante que "ele será o próximo a ser preso".

Ao jornal The State, da Carolina do Sul, o tenente Curtis Wilson, porta-voz do xerife, disse que um homem e uma mulher foram presos após o desentendimento na escola. Eles foram fichados por perturbação da paz e a garota foi solta sob cuidados dos pais.

Victoria Middleton, diretora executiva da seção na Carolina do Sul da União Americana pelas Liberdades Civis (Aclu, na sigla em inglês) disse que não "há qualquer tipo de justificativa para jovens serem tratadas daquela forma". "Independente das razões para as ações do policial, tal uso da força - contra jovens em salas de aula - é escandaloso. A escola deve ser um lugar de ensino e crescimento, não um lugar para ser brutalizado."

O policial Fields se juntou ao departamento do Xerife de Richland em 2004 e foi designado para a escola em 2008. Além da Escola Secundária de Spring Valley ele também é o policial responsável pela Escola Primária Lonnie B. Nelson. / NYT

Mais conteúdo sobre:
Violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.