Violência amplia estado de emergência no Tailândia

O governo da Tailândia ampliou hoje o estado de emergência já vigente na capital e em áreas próximas para mais 15 das 76 províncias do país. A informação foi anunciada pela televisão nacional, que citava ordens do primeiro-ministro, Abhisit Vejjajiva. Antes, Abhisit havia imposto o estado de emergência em Bangcoc e em cinco províncias próximas da capital, em 7 de abril, após manifestantes invadirem o Parlamento, como parte de uma campanha para derrubar o governo.

AE, Agência Estado

13 Maio 2010 | 15h06

"Há grupos de pessoas que estão tentando causar o caos", afirmaram autoridades no anúncio televisionado. O movimento dos Camisas Vermelhas, contrário ao governo, tem desafiado o estado de emergência, que proíbe reuniões com mais de cinco pessoas e dá amplos poderes à polícia e aos militares.

Embaixada americana

Hoje também, os Estados Unidos fecharam sua embaixada em Bangcoc. Um porta-voz do Departamento do Estado afirmou que Washington estava "muito preocupado" com a violência envolvendo o governo tailandês e os manifestantes que querem a queda da atual administração.

"Nós estamos muito preocupados, estamos monitorando isso muito de perto", afirmou em Washington o porta-voz, Philip Crowley, a repórteres. Segundo ele, foi necessário fechar a embaixada norte-americana, pois ela fica próxima de áreas onde há registros de violência. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.