Visita de chanceler americano à Rússia abre pequena esperança de diálogo sobre a Síria

Tillerson se reúne hoje com ministro das Relações Exteriores da Rússia para discutir apoio do país a Bashar Al-Assad

O Estado de S.Paulo

12 Abril 2017 | 06h07

MOSCOU - As expectativas de um acordo entre o governo Trump e a Rússia se deparam com a realidade, com a chegada do secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, a Moscou. Ele se reúne com autoridades russas, na manhã desta quarta-feira, 12, para discutir o posicionamento do país em relação à Síria.

Primeiro membro do governo Trump a viajar ao país, Tillerson está em missão árdua de tentar persuadir o presidente russo, Vladimir Putin, a desistir do apoio ao presidente russo Bashar Al-Assad. A repercussão do suposto ataque químico de Assad e a resposta de Trump, com bombardeios, criaram uma tensão entre os dois países raramente vista após a Guerra Fria.

Enquanto TIllerson chegava a Moscou, o presidente Donald Trump declarou à emissora Fox News que “Assad é um animal e que Putin está apoiando uma pessoa maligna”.

 

Tillerson tem encontro com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, diplomata que costuma apoiar as medidas de Putin. Não está confirmado se o chanceler americano poderá se reunir pessoalmente com o presidente russo.

A Rússia vem insistindo em afirmar que os rebeldes sírios foram responsáveis pela disseminação do gás tóxico que matou dezenas de pessoas em Idlib, na Síria. Os serviçoes de inteligência de vários países ocidentais contrariam a tese, afirmando que o ataque foi planejado pelo governo de Assad. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.