Visita de Lula a São Tomé e Príncipe será reavaliada

O embaixador do Brasil em Portugal, José Gregori, disse que a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à ex-colônia portuguesa de São Tomé e Príncipe, programada para o mês de agosto, terá de ser reavaliada, por conta do golpe de Estado ocorrido na nação africana. Segundo o embaixador, vai-se acompanhar a evolução da situação nos próximos dias. Gregori condenou o golpe. O embaixador participou de uma reunião de emergência para tratar do tema do Comitê de Concertação Permanente, órgão que reúne representantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). "A CPLP insta os revoltosos a que cessem a rebelião, restabelecendo a ordem constitucional e a legalidade democrática, libertando os membros do governo e outros detidos", declarou o embaixador brasileiro. "O ministro das Relações Exteriores de São Tomé e Príncipe (presente na reunião em Lisboa) contou que a Guarda Presidencial se mantém leal ao governo", acrescentou. Indagado sobre a possibilidade de uma intervenção militar internacional para controlar a situação, Gregori respondeu que novas reuniões ministeriais serão realizadas na quinta e na sexta-feira na capital portuguesa para "discutir as medidas a serem tomadas". As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

Agencia Estado,

16 Julho 2003 | 14h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.