Websfera

O melhor da internet

Rodrigo Cavalheiro, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2010 | 00h00

THE NEW YORK TIMES

Verba para guerra divide democratas

A guerra no Afeganistão tem colocado senadores democratas em contradição com o que defendiam durante o governo de George W. Bush. Harry Reid, de Nevada - grande crítico do conflito iniciado pelo antecessor de Barack Obama -, diz que a situação agora é diferente: "Eu era contra não ter um plano de retirada." Há rumores de uma saída das tropas em 2011, mas não um cronograma. O plano proposto pelo democrata Russ Feingold foi rejeitado esta semana pelo Senado, que legitimou o conflito ao liberar US$ 60 bilhões para gastos militares. "É uma vergonha destinar bilhões para uma guerra com pouco debate público e, até agora, sem sentido", disse Feingold. O Pentágono levará US$ 33,5 bilhões do montante.

WALL STREET JOURNAL

Comprado o iPad, como transportá-lo?

Quem comprou um iPad encontrou um problema básico ao chegar em casa. Como transportá-lo? Grande demais para o bolso, pequeno para uma mochila. Uma solução é a jaqueta em cujo bolso interno cabe o aparelho de 24,5 cm por 12,5 cm. A solução mais cara: uma bolsa Louis Vuitton de US$ 1,8 mil.

BBC

Austrália enfrenta Japão por caça a baleias

A Austrália quer que a Justiça internacional condene o Japão, seu segundo parceiro comercial, por matar baleias na Antártida. Os japoneses argumentam que só revendem a carne que sobra de pesquisas. Em um mês, a caçada com fins comerciais - proibida havia décadas - deve ser permitida novamente, mas com cotas.

TALKING POINTS MEMORY

Protestos contra centro muçulmano em NY

A ideia de um centro cultural muçulmano em Nova York, ao norte de onde ficavam as torres destruídas no 11 de Setembro, desagradou aos conservadores. Projetada para combater o radicalismo, a "Cordoba House" foi considerada pelo Washington Times "inconveniente", uma "tentativa de sujar a memória das vítimas". O locutor Michael Berry desejou que, se já estivesse de pé, o prédio explodisse. "É isso mesmo que quero dizer."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.